domingo, 4 de abril de 2010

1 ano e 8 meses

Gente, o Otto está muito esperto, falante, observador e aprende tudo na primeira vez que ensinamos ou que ele ouve.
Dia desses, tia Amanda esteve aqui e conversando extravasou "put...iu.". E foi o suficiente não só para ele repetir como para guardar a informação e usá-la exatamente na hora de reclamar.
E não só esse mais alguns outros episódios aconteceram, vou escrever os que lembro.

Epiódio 1:
Duas semanas depois... acordou muito cedo e num desses fins de semana eu levantei coloquei desenho e deitei no sofá, mas ele queria que eu pulasse com ele e falei: "Filho, mamãe está cansada não vai levantar, brinque você."
Gente ele olhou pra mim engrossou a voz e repetiu "putapaiu".
Fiquei chocada não só pelo fato de 2 semanas depois ele lembrar mas também por entender que é usado na hora da descontentação, da raiva.

Episódio 2:
Ele é mega difícil de comer comida (salgada), mas não gosta de doce não, ele gosta mesmo é de mamadeira, fruta amassada, vitamina, essas coisas entram com facilidade.
Então conversei com Gustavo (já que a Ped não prescreve vitamina) que iria comprar uma por conta própria pois fico realmente preocupada com o fato de comer 3 ou 4 colheres de comida e só.
Apesar de a pouca ingestão de comida não interferir no crescimento, na espertaza e na energia que ele tem, não é apático (de forma alguma).
Então, neste feriado da Páscoa Gustavo pôde observar que não é exagero meu, ele realmente não come, pode inventar comida, colocar no nosso prato pra ele comer junto, deixar ele sem comer das 7h da matina até o almoço as 12h e ele só come 3 ou 4 colheres, quando come.
Daí, o Papai se zangou com ele e disse que estava triste porque ele não queria a comida gostosa e tal.
Ele percebendo a zanga do pai foi para o lado dele, com a mão no rosto fez carinho e falou, "cainho".
Putz, Gustavo levantou e saiu de perto pra rir.
Olha ele aí, querendo ganhar a gente, aff.

Bom, te vários outros episódios, mas esses achamos os mais engraçados e nos chamou a atenção para o desenvolvimento dele.

E a festa de 2 anos, alguém aí pensa em algo?
Nós aqui estamos em dúvida, pois surgiu a possibilidade de viajarmos então, sinceramente prefiro viajar, risos.
Mas, são só planos.

Vou postar sobre desenvolvimento que retirei num site.


Pequeno artista 


Se você puser um giz de cera na mão do seu filho, talvez se surpreenda de vê-lo riscando algumas linhas horizontais e verticais -- embora a maior parte da obra de arte seja mesmo formada por rabiscos.

Desenhar (ou rabiscar) é uma atividade que envolve a coordenação motora fina, como a habilidade de segurar coisas e o movimento de pinça. Também treina a coordenação visuomotora -- entre as mãos e os olhos -- e aimaginação.

Pode ser, porém, que a criança não tenha o menor interesse em riscar o papel. Não há motivo para se preocupar. Ela provavelmente está empenhada em desenvolver outras habilidades, como andar com firmeza, correr, subir degraus etc.

Se você quer experimentar as habilidades artísticas da criança, prefira papéis grandes e grossos, que não escorreguem fácil da mesa, ou prenda-os à superfície com fita adesiva.

Caneta hidrográfica e giz de cera funcionam melhor para a criança, mas fique de olho nas paredes -- nem sempre fica fácil de limpar, se o desenho sair no lugar errado. Um ambiente razoavelmente controlado para esse tipo de atividade é o cadeirão.

Comida no microscópio 

Publicidade

A hora de comer está mais difícil? Com esta idade, a criança pensa no gosto, na textura e até na cor do alimento antes de colocá-lo na boca. Continue oferecendo comidas variadas, e segure o instinto de obrigá-lo a comer. Dê você o bom exemplo e coma com gosto, junto com ele, para quem sabe instigar a curiosidade e o interesse do seu filho.

Embora a criança já mastigue bem, é bom cortar a carne em pedaços pequenos e ficar atento a alimentos perigosos, com os quais ele possa engasgar.

Como vai seu papagaio? 


Nesta fase, as crianças querem imitar e repetir tudo o que ouvem. Em média, com 1 ano e 8 meses, uma criança diz mais ou menos uma dúzia de palavras diferentes, mas isso varia muito. Há aquelas que falam muito mais que isso, e outras que não dizem quase nada, e todas são normais.

O importante é saber que seu filho entende muito mais palavras do que as que consegue dizer. Faça um teste: peça a ele que vá buscar no quarto um travesseiro, por exemplo, e ele deve voltar com o objeto certo, mesmo que esteja longe de conseguir dizer a palavra.

Está chegando a idade das birras 


Os 2 anos de idade são tão famosos pelos escândalos e ataques de fúria que em inglês existe até o apelido "terrible twos" -- uma idade terrível. Mas todo mundo sobrevive, e o importante é saber que as birras são normais, e quase nenhuma criança escapa, nem mesmo as mais calmas e comportadas.

Seu filho ainda não reclama de nada? Talvez a fase ainda não tenha começado. Os primeiros sinais são: ele insiste em fazer exatamente o que você acabou de dizer que não, ou se joga no chão quando fica muito irritado. A busca pela independência é tanta que às vezes a criança faz escândalo por uma coisa que nem quer de verdade, só para ver se tem o poder de consegui-la.

Por mais bizarra que seja a situação, até engraçada, é difícil manter a cabeça fria na hora da gritaria. Um bom caminho é ficar por perto do seu filho, deixá-lo chorar e extravasar a raiva, que logo vai passar. Outros preferem distrair a criança com alguma outra coisa.

Se você estiver num lugar público ou na casa de alguém, leve a criança para algum lugar mais isolado, até que ela se acalme. Guarde o castigo para daqui a alguns meses, quando ela já entender melhor como seguir regras.

Cuidado com saídas à noite, ou no fim da tarde, perto da hora de dormir. Crianças cansadas são ótimas candidatas a um ataque de birra. Se for sair, procure levar o carrinho e uma comida de emergência para não deixar seu filho muito cansado ou com sono. Pelo menos você diminui um pouco o risco de um escândalo.

Chamego e colo 


Muitas crianças são bastante carinhosas nesta idade. Seu filho deve gostar de sentar no seu colo, porque sabe que esse é um jeito de ter sua atenção todinha para ele. Aproveite o contato para fazer coisas juntos: cantar, dançar, olhar um livrinho, fazer brincadeiras como "Serra, serra, serrador, serra o papo do vovô!".

Até assistir a um desenho na TV juntinhos vale, afinal às vezes a criatividade para brincadeiras se esgota, ou você está cansada demais para fazer qualquer outra coisa. Só aproveite para comentar o que vocês estão assistindo, pois assim a criança aumenta seu vocabulário e interage com você, em vez de só ficar hipnotizada pela tela.