domingo, 22 de novembro de 2009

Pirracinha, será falta de limites?

A opinião de uma mãe e observadora:

Acho que toda mãe conhece essa fase, senão, ainda vai conhecer. Será isso falta de limites?
Bom vou postar minha opnião sobre o assunto e claro a de um profissional.
Claro que existem níveis de pirraça, isso mesmo, níveis, risos. Vou postar aqui, minha conclusão como observadora:

Nível 1 - a criança faz pirracinha se debatendo e ameaçando chorar, resmungando mesmo. Mas se não dermos importância (que é o que faço), ela mesma esquece em segundos, logo que encontra um brinquedo ou algo que chame sua atenção (esse é o caso do Otto).

Nível 2 - ela já é mais ousada, esperneia, dá gritinhos, mas um simples não ou olhar dos pais consegue contornar a situação não deixando evoluir.
Tudo pra chamar sua atenção. Sei que é difícil, mas temos que tentar mostrar a criança quem tem o domínio da situação. Se ela percebe que consegue sim chamar sua atenção ou até mesmo te irritar, ela vai seguir fazendo isso, infelizmente.

Nível 3 - esse é o pior dos níveis, é aquele em que a criança se joga no chão, grita, se debate, esperneia, em suma, dá show. Situação com a qual, nenhum de nós está acostumado ou sabe como lidar. Eu pelo menos não saberia.

O que fazer numa situação dessas?
Tem uma colega que conta que a filha fez isso no shoping, ela simplesmente seguiu em frente desviando da filha e se escondeu. A criança percebendo que não estava sendo assistida por sua platéia predileta parou, olhou pros lados e começou a balbuciar: "mamãe".
O segurança viu a criança sozinha e ia em sua direção quando a mãe sinalizou pra deixá-la procurando só um pouquinho, risos, essa tem fibra, risos.
Esperou um pouco, apareceu pra filha e disse: "nunca mais faça isso, senão te deixo onde estiver sozinha, entendeu?"
E nunca mais a filha deu show. E ela é VENCEDORA.
Mas me pergunto, será essa a melhor atitude a ser tomada. Nesse caso, sim. Mas cada um a sua maneira, tenho em mente, que não funcionaria com todas as crianças.
Acho sinceramente, que faria algo parecido, porque na minha opinião ficar "batendo boca" com a criança na hora da pirraça só a estimula mais a fazer, porque na cabecinha dela de uma forma ou de outra ela consegue sua atenção.

A opinião de um profissional:

"Devemos pensar que os pais, como adultos, precisam ter o controle da situação. Para isso, é importante que eles conheçam de onde vem essa dificuldade desenfreada das crianças em compreenderem as regras e internalizá-las. Precisam pensar também por que afrouxam tanto os limites. Do que têm medo quando estão diante destas crianças que os pressionam com choro, gritos e esperneio?

A criança ao nascer não se vê separada do mundo que a cerca. Inicialmente, sente como se ela e a mãe fosse uma unidade. Como a mãe, nos primeiros dias e meses, está geralmente ali pronta para servi-la, a criança não consegue perceber que é um ser diferente dela. Porém, conforme vai crescendo, começa a notar que nem tudo acontece no tempo em que deseja - e fica irritada, por exemplo, quando a mãe demora a dar o peito, chora porque quer colo etc. Esses "desencontros" são importantes para que a criança nasça psiquicamente. Este "nascimento" se dá por volta dos seis ou sete meses de vida.

Se tudo aconteceu a contento, a criança, nesta fase, já sabe quem é a mãe e quem são as outras pessoas próximas. No entanto, esse saber não é o suficiente para que ela desista de ter o mundo girando à sua volta, pronto para servi-la. Por isso, ela demonstra raiva e tristeza para tudo o que lhe incomoda: vai chorar porque a mãe demora a voltar do trabalho, vai chorar porque quer o colo na hora em que os pais estão jantando, vai chorar quando vê os pais se abraçando, sem dar atenção a ela. Por quê?

Ela vai tentar todo o tempo buscar aquelas primeiras sensações, quando todos pareciam estar prontos para atendê-la.

Nesses primeiros meses e anos, será construída a base para que a criança cresça de forma saudável e seja capaz de enfrentar as dificuldades que a vida poderá lhe impor. Por este motivo, os pais precisam dar disciplina aos pequenos desde cedo. Não existe uma vida de facilidades e os "nãos" que a vida costuma impor a nós, seres humanos, também serão dados os nossos filhos. Acredite: a criança sofrerá muito mais se crescer acreditando que o mundo (a escola, a sociedade, o patrão, o cônjuge) irá tratá-la como príncipe ou princesa!

Lembre-se: crianças sem limites costumam se tornar adolescentes tiranos!

Não pense que você está sendo um bom pai ou uma boa mãe porque pode dar "tudo" o que o seu filho quer. Não pense também que será mais amado por ele porque está sempre pronto a atendê-lo e porque tolera o intolerável!

Crianças não são ingênuas. Ao contrário, percebem desde muito cedo a melhor forma de seduzir os pais e as pessoas próximas. Percebem as fraquezas dos pais e sabem exatamente como convencê-los. E os irmãos, tios, avós, primos, amigos, namorados, professores, chefes... estarão disponíveis a atender suas manhas e seus excessos?

E como resolver?

Quando seu filho estiver teimando, fazendo birra, certamente, além de não perceber os próprios limites, está colocando os seus em xeque. O que fazer nesta hora?

Segure-o pelos braços firmemente. Atenção: firmemente não significa machucá-lo, mas com a força necessária para oferecer à criança a contenção que ela precisa. Olhe também dentro de seus olhos e peça a ela que olhe de volta e, só então, fale com calma e pausadamente o que você quer que ela faça ou deixe de fazer. Pode dizer a ela que você entende o motivo que a leva a chorar, pois você sabe o quanto é chato não conseguir algo que queremos. Diga também que você sabe que muitas vezes ficamos chateados, com raiva ou tristes. Só não deixe de falar que o choro não mudará em nada a sua atitude naquele momento.

E não se esqueça: você realmente precisa acreditar no que está falando e, mais do que qualquer coisa, fazer valer as suas palavras".

Mônica Donetto Guedes é psicanalista, psicopedagoga e pedagoga do Apprendere Espaço Psicopedagógico.


Fonte: http://bebe.bolsademulher.com//1a3anos/materia/pirraca/53942/1


segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Desmame Natural, eu acredito.

Foto tirada pra guardar de recordação, pois já estava desamamando.



Gente, as máximas são:

Quando a gente namora - Vai casar quando?
Quando a gente casa -Vai ter filho quando?
Quando temos filhos e eles mamam - Vai desmamar quando?
Vou logo respondendo - QUANDO ELE QUISER.
Daí vem logo um comentário, digamos, ausente de fé. Se depender ele, não vai largar nunca.
E penso com meus botões, pessoa de pouca fé, aff.

Mas, contrariando a "sabedoria popular", assim foi com o pequeno Otto. NATURALMENTE.
Desde os 10 meses, quando introduzi mamadeira nele ele foi deixando de mamar, naturalmente. (Abro parenteses para esclarecer que introduzi mamadeira por ser meu pequeno realmente pequeno e magro, não pesa 9k com 1 ano e 3m. Então resolvemos eu e a Ped introduzir mamadeira para sustentá-lo pois estava acordando muito na madrugada por conta da fome).

Quantas vezes ele pedisse peito eu dava, fosse na madrugada, embora não seja a favor de alimentá-lo, fazia esse "chamego" geralmente quando estava com algum resfriadinho, virose, enjoadinho por conta dos dentes. Já que fora isso, agora ele dorme a noite inteira.

Continuando...desde os 10 meses ele vem deixando de pedir, daí resolvi deixar de oferecer, pois tenho planos de colocá-lo na creche em 2010, na fé que arrumarei um emprego.
Então a 1 mês sofri um pequeno acidente doméstico e queimei a região do colo e um pouco do seio esquerdo.
Com isso, Otto que já não pedia (eu que oferecia), as vezes que pegava, largava por conta da cicatriz e assim deixei de oferecer.
Outro dia fomos a Niterói e ele estava de "pirraça" no carro. Acreditem, ele faz pirracinha, mas faz...Daí pensei - "vou oferecer o peito" - e quem disse que ele quis, risos...Fez cara feia.
Foi ali que percebi que meu bebê, DESMAMOU.
Embora ache que a cicatriz tenha influenciado, não acredito que tenha sido o motivo, pois ele mamou algumas vezes depois do acidente, então não foi a causa.
Com isso e por isso acredito sim em Desmame Natural. Aconteceu comigo.
E dou graças por ter sido assim, pois não houve nenhum trauma, nenhuma força, ...ele não quer mais e pronto.
Está agora meu pequeno pronto pra desbravar outros sabores.

E eu, fico com o coração calmo e a certeza de que fiz o melhor. Sem traumas.

Acho importante além de colocar aqui a minha experiência colocar também a opinião de um profissional sobre o assunto mencionado.


Elsa Regina Justo Giugliani*

*Pediatra, professora da Faculdade de Medicina da UFRGS, presidente do Departamento de Aleitamento Materno da SBP, Especialista em Aleitamento Materno pelo IBLCE (International Board of Lactation Consultant Examiners)

"...O desmame pode ser agrupado em quatro categorias básicas: abrupto, planejado ou gradual, parcial e natural. Sob a ótica de que o desmame é um processo de desenvolvimento da criança, parece razoável afirmar que o ideal seria que ele ocorresse naturalmente, na medida em que a criança vai adquirindo competências para tal. No desmame natural a criança se auto-desmama, o que pode ocorrer em diferentes idades, em média entre dois e quatro anos e raramente antes de um ano. Costuma ser gradual, mas às vezes pode ser súbito, como por exemplo em uma nova gravidez da mãe (a criança pode estranhar o gosto do leite, que se altera, e o volume, que diminui). A mãe também participa ativamente no processo, sugerindo passos quando a criança estiver pronta para aceitá-los e impondo limites adequados à idade. O Quadro 1 apresenta os sinais indicativos de que criança pode estar pronta para iniciar o desmame:


Quadro 1. Sinais sugestivos de que a criança está madura para o desmame

• Idade maior que um ano

• Menos interesse nas mamadas

• Aceita variedade de outros alimentos

• É segura na sua relação com a mãe

• Aceita outras formas de consolo

• Aceita não ser amamentada em certas ocasiões e locais

• Às vezes dorme sem mamar no peito

• Mostra pouca ansiedade quando encorajada a não amamentar

• Às vezes prefere brincar ou fazer outra atividade com a mãe ao invés de mamar

É importante que a mãe não confunda o auto-desmame natural com a chamada “greve de amamentação” do bebê. Esta ocorre principalmente em crianças menores de um ano, é de início súbito e inesperado, a criança parece insatisfeita e em geral é possível identificar uma causa: doença, dentição, diminuição do volume ou sabor do leite, estresse e excesso de mamadeira ou chupeta. Essa condição usualmente não dura mais que 2-4 dias.

Algumas vantagens do desmame natural encontram-se no Quadro 2:


Quadro 2. Vantagens do desmame natural

• Transição tranqüila, menos estressante para a mãe e a criança

• Preenche as necessidades da criança até elas estarem maduras para o desmame

• Fortalece a relação mãe-filho

• Ajuda a mãe a ser menos ansiosa com relação aos estágios de desenvolvimento de seu filho..."

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Peso do bebê, quanta preocupação...

Gente, ando bastante preocupada com o peso do Otto. Ele tem 15 meses e não chegou aos 9kg embora esteja perto disso. Ele sempre esteve até 2,0kg abaixo da média, mas dentro da curva de crescimento. Por exemplo o nascimento foi com 2.800kg quando a média na tabela abaixo é 3.400kg, quanta diferença. E no tamanho tb que foi com 48cm e a média é 50cm. Mas a média é só parâmetro não tem medida nem peso exato pra nenhum bebê, acontece que ainda assim nós mamães comparamos e ficamos preocupadas. Se ficamos...

...Por receio de pegaram um resfriadinho e já perderem o pouco que tem, pois o apetite some numa pequena virose, aff.

A Pediatra do Otto sempre me disse que se tivesse outro filho, queria que fosse exatamente como o Otto pois é mais fácil controlar. Vai saber...

Bom, diante dessa minha preocupação tenho lido várias coisas na net e vou postando aqui o que achar necessário e importante.

-----------------------------------

"Toda mamãe é preocupada com o ganho de peso e com o crescimento do seu bebê desde o início da gestação. Observamos atentamente os dados dos exames de ultra som e logo buscamos comparar as medidas obtidas com as amigas grávidas ou até mesmo na internet.

Após o nascimento este cuidado continua, pois ficamos inseguras se o bebê está mamando bem, se ele está aceitando o leite artificial na proporção adequada, etc. Mas fique tranquila pois mensalmente serão realizadas visitas ao consultório do pediatra a fim de acompanhar o desenvolvimento neuro-motor, o ganho de peso e a estatura do seu bebê. Esses dados são registrados e é então formada uma Curva de Crescimento. Cada criança tem uma curva pessoal que é baseada em características genéticas (herdado dos pais) e em hábitos alimentares próprios.

Elaboramos uma tabela com peso e altura de crianças brasileiras, de ambos os sexos, com o intuito de lhe auxiliar no acompanhamento do desenvolvimento do seu filho, mas lembre-se que os dados citados representam um valor médio. Portanto, podem existir variações consideradas normais. Em caso de dúvida consulte o pediatra do seu filho".


Idadesmeninosmeninas
altura (cm)peso (kg)altura (cm)peso (kg)
recém-nascido503,400493,300
1 meses554,200544,000
2 meses575,000564,700
3 meses615,700595,550
4 meses626,300616,100
5 meses636,900626,700
6 meses647,500637,300
7 meses668,050657,800
8 meses688,400678,250
9 meses698,900688,600
10 meses719,300709,050
11 meses739,600729,450
12 meses7510,000739,800
Fonte: www.conhecendoseubebe.com.br

domingo, 8 de novembro de 2009

Guia definitivo para lidar com as enrascadas do mundo de quem tem filhos.

O que fazer quando a mãe do amigo do seu filho “esquece” a criança na sua casa


• Ligar e, educadamente, dizer que tem um compromisso (você tem um, mesmo que seja deitar no sofá para ver o seriado favorito) e que gostaria de saber a que horas os pais irão pegar a criança.
• Encarar o trânsito em uma empreitada “delivery”
• Incorporar a criança à programação da casa. Se é hora do banho, ele vai para a banheira também, se é para dormir, para cama.
• Finja de desentendida. Ligue para a mãe e diga: “Oi, tudo bem? Você me ligou? É que o telefone estava fora do gancho e fiquei preocupada que você estivesse tentando falar aqui...”

Como agir quando seu filho regurgita na amiga que não tem filho

• Peça desculpas e use os lenços umedecidos para limpar a moça.

•Tire sarro da situação. Fale que a mancha branca combinou perfeitamente com o sapato dela.

•Se ela não tiver percebido o incidente, faça cara de paisagem e comente sobre o último filme a que assistiu.


5 animais de estimação que não dão trabalho

Crianças adoram animais. Em vez de desperdiçar saliva e argumentos tentando convencê-la a desistir da idéia de ter um bicho, procure alternativas menos bagunceiras, como abaixo:

Montagem sobre fotos Ricardo Fiorotto



Tartaruga
Se tiver um jardim em casa, opte pelo jabuti. Se não, a aquática vive muito bem, obrigado, dentro de um aquário no quarto da criança.




Montagem sobre fotos Ricardo Fiorotto



Hamster, Porquinhos da Índia, Ratos

São fofos, fáceis de manter e de repor (é triste, mas ninguém sabe quanto o animalzinho vai resistir).




Montagem sobre fotos Ricardo Fiorotto



Peixe Betta

Compre um aquário pequeno, coloque água e ração e todo mundo fica feliz: o peixe, seu filho e você.




Montagem sobre fotos Ricardo Fiorotto


Se você conseguir vencer o seu asco pelo anfíbio gosmento, essa pode ser uma opção. Os pet shops maiores costumam vender rãs adultas que, por incrível que pareça, são fáceis de criar.




Montagem sobre fotos Ricardo Fiorotto



Urso de Pelúcia
É o animal mais simples de cuidar. Dizem que os antialérgicos são ainda mais dóceis.





Como sair com seu marido – sem as crianças – pelo menos uma vez por semana

Simples. Você precisa decidir que quer fazer isso. Ficar com a avó, com a babá, com a vizinha, brincando na casa do amigo não é o problema. A questão é a prioridade que você dá para esse assunto na sua vida.

Como agir quando você vê a babá do seu vizinho fazendo alguma coisa errada
Se for algo que coloque a vida da criança em risco, interfira na hora. “Caso contrário, espere para comentar com o vizinho mais tarde”, diz Roberta Rizzo, proprietária da Kanguruh, franquia especializada em babás. Prepare-se para qualquer tipo de reação dos pais, pois eles podem entender sua boa vontade como intromissão.

Montagem sobre fotos Ricardo Fiorotto

Como não enlouquecer com 10 crianças brincando na sua casa

As dicas aqui vão depender da idade da turma. Mas uma delas vale para todas as situações: programe tudo que puder e fique preparada para que saia tudo diferente. E sem dramas!

ACERTE NAS BRINCADEIRAS
Prepare vários “cantos” de atividades e apresente separadamente. Assim, quando eles estiverem enjoando de uma brincadeira, já tem outra.

Canto do faz-de-conta Separe fantasias, além de maquiagens e fivelinhas para as meninas e espadas e chapéus para os meninos.

Canto da casinha Bonecos, caminhas improvisadas, fraldas e mamadeiras ou mesmo carrinhos, tudo sob uma tenda de lençol no meio da sala ou no quintal.

Canto da pintura Potes de tinta e dedinhos. Pincéis só para os maiores. Vale para quem tem quintal e um esguicho a postos.

Canto da dança Vale tudo que eles curtem: Palavra Cantada, Cocoricó, High School Musical, Hannah Montana…

Canto das brincadeiras-que-sempre-vão-fazer-sucesso Pular corda, corre-cotia, amarelinha, passa-anel, esconde-esconde, pega-pega…

DESCOMPLIQUE O LANCHE
Cestinhas prontas com:

• 1 pedaço de bolo simples (de chocolate não tem erro)

• 1 sanduíche de queijo

• 1 fruta fácil de comer (maçã, banana ou um cacho de uvas sem caroço)

• 1 caixinha de suco ou achocolatado

CUIDADOS BÁSICOS
• Anote o nome e celular de todas as mães

• Tenha sempre em casa spray anti-séptico e curativos

• Não se esqueça de combinar a hora de buscar as crianças

3 refeições que você prepara em 15 minutos

Para ter opções variadas, procure cozinhar os alimentos e congelá-los. Vale tudo: feijão, carne moída, vegetais pré-cozidos... Dessa forma, você terá uma refeição completa ao alcance do freezer. Para os dias de geladeira vazia, Solange Juertzenstein, nutricionista e professora do Centro Universitário São Camilo, em São Paulo, propõe 3 menus infalíveis:

1 Macarrão na manteiga com brócolis cozido
2 Omelete com pedaços de peito de peru e tomate
3 Arroz, nuggets assados e cenoura (baby carrot) cozida


Fonte: Revista Crescer.

1 ano e 3 meses

Roupas, pra quê?

Você acaba de vestir seu filho e já está pronta para sair de casa. Desvia a atenção para pegar a bolsa e quando vira ela está... pelada! Essa cena é muito comum. Nessa fase, a criança começa a ter consciência de que é um indivíduo independente, e uma das formas de manifestar essa percepção é mostrar que pode fazer coisas sem a ajuda de ninguém, como tirar a roupa.

Apesar do trabalho que dá vestir tudo de novo, tenha paciência. Sempre que possível, deixe que ele manifeste essa vocação para o nudismo. No entanto, ele precisa aprender que não pode tirar a roupa a qualquer hora e em qualquer lugar.

O ato de tirar a roupa também é prazeroso para a criança porque ela se sente dominando ações que antes não conseguia realizar. Gestos que para um adulto se revelam corriqueiros, como puxar as meias dos pés, desgrudar faixas de velcro ou descalçar os sapatos, tornam-se grandes conquistas para o bebê. Esse esforço merece ser reconhecido e valorizado pelos pais tanto quanto a escolha da roupa pela criança – mesmo que seja uma blusa de bolinhas e uma calça xadrez. Ele pode parecer uma caixa de lápis de cor de tão colorido, mas está feliz. E tudo bem.

Fonte: Revista Crescer.


sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Book 1 ano.

Esqueci totalmente de postar a fotos do book de 1 ano do pequeno Otto.
Lá vai, pra completar o ciclo desde os 3 meses fazendo book.
Bjs em todos e fiquem com Deus!














Ganhamos do estúdio uma ampliação de 50x75 desta foto, vou colocar na cabeceira da mini cama.




quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Piscinando...

Eita calorzão gostoso!
E o Otto aproveitando sua mini piscina, enquanto ele ainda cabe nela, kkkk!
Mamãe filmou...

video

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Dentes.

3 dentes rompendo a gengiva e o sofrimento está formado.
Dia 31/10 Otto começou com diarréia durante o dia. Liguei para a Ped que falou pra dar rheidrat, colocar hipoglós (pois estava muuuito assado) e usar dermacid bebê.
Ok, mamãe que estava na rua escolhendo seu presente de aniversário de casamento, rapidamente abortou a missão e foi parar fazendo compras na farmácia, mas faz parte e a prioridade é o Otto, sempre.
Mas, no dia seguinte, aniversário do Papai, a mamãe batendo fotos e percebe Otto amoado no colo do Papai peguei e logo percebi que estava quentinho, medi e 38,5 de temperatura. Mediquei e aguardei, mas 6 horas depois febre novamente. Fomos a emergência da Unimed e a médica que nos atendeu disse que aparentemente seria virose, pois estava com a garganta vermelhinha, examinou ele todo, inclusive as gengivas.
Passou regulador para o intestino e manter tylenol bebê em caso de febre.
Bom, vamos nós a farmácia novamente. Dia seguinte, mamãe observou que Otto chorava e colocava o dedinho indicador na boca, resolvi depois de muito tentar, passar o dedo e lá estavam 3 dentes, sendo dois láááááááááá atrás e um na frente.
Ensinei ele a apontar dizendo dente e agora quando dói ele faz isso, tadinho e imediatamente coloco nenê dente.
E vamos aguardando a melhora dele e o rompimento dos dentes.
Com isso, meu bebê que já é mignon, com certeza emagreceu, pois o rosto tá fino...e volto a me preocupar com aquela faixa e sei que está abaixo dos 9kg com 15 meses.
As vezes está almoçando, mamadeira não aceita sempre e até o peito que não mamava a duas semanas resolveu pegar de volta, kkkkk!
Ele não aceita nada na mão, gosta de pegar, quando ofereço ele não aceita, daí descobri que se eu colocar em algum lugar, seja na escada, no baú da sala, no sofá ele pega e come.
Tô igual uma caça ratinhos, espalhando biscoitinhos por onde ele anda, daí ele pega e come, gente, filmei...risos. É ainda mais engraçado, porque ele tem a mania do pai, ele dá uma mordidinha, coloca onde pegou, vê, tv, dança, volta dá outra mordidinha e coloca lá. O pai, morde o pão, coloca na mesa pega o café toma, pega o pão morde coloca na mesa e assim sucessivamente. Como ele toma café no colo do pai, deve ter observado isso e faz igual.
Lindoooooooooooo!
Vou postar.

video