segunda-feira, 25 de maio de 2009

Mudamos pra melhorar e agora que melhoramos, vamos mudar.

Tem que ter coragem, disposição, mas acima de tudo convicção para mudar. Ainda mais, mudar um estilo de vida. Mudamos pra melhorar e agora que melhoramos, vamos mudar.
E é isso que estaremos fazendo neste sábado, mudando nosso estilo de vida. Sempre pra melhor, claro, porque se não achássemos isso, não teríamos nos proposto a mudar.
Hoje moramos em Niterói, centro mesmo. Onde a vida é prática, onde tem tudo, tudo acontece, tudo se resolve. E aqui estamos a 8 anos, viemos estudar, trabalhar, ganhar experiência pessoal e profissional.
E ganhamos. Missão cumprida.
Fizemos amigos, faculdade, pós, cursos. Conhecemos lugares, bares, restaurantes, cinema, sinuca, aff... nos divertimos.
Mas aí, casamos e em 4 anos decidimos que teríamos o Otto, planejamos, sonhamos e aí está.
Agora ele está crescendo e nós vamos relembrando (por conta de nossa infância saudável) que criança precisa de espaço, precisa de uma casa.
E aí nos damos conta de que esse serzinho que tomou conta de nossa vida, merece ter uma infância como a nossa, brincando com coleguinhas da escola, da rua, da vizinhança. Porque morando em prédio, só se tem amigos-vizinhos, se tiver outros casais com filhos, o que não é o nosso caso.
E percebemos que ele merece ter espaço, quintal, plantas, quiçá um cachorro (se depender do Papai, arruma em dois tempos, risos).
E sem medo de mudar, inovamos...e vamos mudar. E teremos quintal, plantas, praia, lagoa, rua pra brincar e até coleguinhas para o Otto, como vizinhos já temos.
E sabe o bom de tudo isso?
É que conquistamos mais um degrau na nossa escalada por uma vida tranquila, saudável, feliz. Conquistamos a nossa casa, nosso canto, nosso sonho, nossa tranquilidade.
E daí só nos resta pedir a Deus e aos Espíritos de Luz que nos acompanhe, nos transmita paz e nos conceda a graça de sermos ainda mais felizes do que somos hoje.
Porque medo de mudar, a gente não tem.
Obrigada Senhor!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Meu presente!



Dia P E R F E I T O!

Olha o presente que ganhei do Otto e do maridão, lindooooo! Obrigada amores da minha vida!

Almoço com minhas irmães, mamãe, papai, sobrinhos...família!!!

Obrigada Meu Deus e a todas as forças positivas por me permitir viver este momento mágico.

Tem várias fotos do evento, mas, as enroladas ainda não me enviaram. Na próxima eu fotográfo e dou uma canseira nelas.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Meu Primeiro Dia das Mães.


Pois é...Dia das Mães.
Resolvi tentar escrever as minhas emoções destes nove meses como mãe do Otto.

Descobri nesses nove meses de vida do Otto que ser mãe é um sentimento que ultrapassa os limites do meu corpo, da minha mente, é como se independesse de mim sentir esse amor, ele existe e pronto. Não preciso fazer força. Ele simplesmente surge e vou descrever como, ao meu ver.

Acho que ele surgiu realmente na primeira mamada, quando percebi, com lágrimas nos olhos, que aquela coisinha linda, inocente e cheia de gana de viver, precisava só de mim pra se alimentar e aquele momento passou a ser SAGRADO. E senti criar um laço de confiança, segurança, daí pensei: o amor é isso. Mas, fui vivendo intensamente cada novidade inicial e percebi que o amor estava em tudo que se relacionava aquele serzinho.
Estava também na primeira troca de fralda, quando antes eu via as outras mães trocando e torcia o nariz pensando, como ela podia fazer aquilo sem nojo. Ou então, que fedor...E agora nem cheiro sinto ou se sinto, passa despercebido, afinal, é meu! E ai de quem falar que fede, kkkkk!
E ele fez um mês e veio o primeiro sorriso, para a mamãe, claro! Parece que era uma forma de agradecimento, para me recompensar por toda dedicação dada até então.
E este amor surge e cresce imensurávelmente a cada mês, a cada dia, a cada hora, a cada minuto.
Daí percebo que não vai parar de crescer, que não vou parar de me alegrar, que não tenho motivos pra ficar triste, nem se acordo na madrugada (embora às vezes levante destruída e reclame um pouquinho, risos!) com um chorinho gostoso e um balbucio de "mama". Palavra mágica que me fez ligar para todos e dizer que ele falou Mamãe. As pessoas acham lindo, mas só quem passou por isso pra saber a emoção desse momento.

E aí eu penso: É para sempre.

E percebo que perdi o rumo, as rédias do meu sentimento (amor), quem manda nele é esse serzinho. E quando me dou conta, amo mais a ele que a mim mesma.
E percebo ainda, que todas aquelas coisas de estar sempre com cabelo lindo, roupa cheirosa, rosto maquiado perde um pouco a importância, porque na verdade quero ver meu filho assim, lindo e cheio de saúde sempre!
E lembro ainda quando as já mamães tentavam expressar o tamanho desse amor pra mim quando estava grávida ou mesmo quando ainda nem pensava em ter filhos e eu não conseguia mensurar e pensava: ahhhh, tá exagerando.
Gente, era tudo verdade. Só que só da pra saber quando se vive esta mágica.

E com tudo isso e muito mais, me dou conta de que não tem como descrever o amor que existe entre mãe e filho.
Que todos os poemas do mundo não conseguiriam transmitir, a que não passou por isso, a veracidade da emoção, o calor e a intensidade desta experiência.
Então, queridas e queridos, chego enfim a conclusão nesta minha tentiva de escrever minha emoção que:

Ser mãe é algo impossível de ser explicado. Tem que ser vivido!


Feliz Dia das Mães!

Janaina Figueiredo

domingo, 3 de maio de 2009

9 meses depois...


Nove meses depois...dos nove meses de barrigão!
Aff, como passou rápido!
Voltamos de uma semana de férias com o Papai em Saquarema, uhuuu! O Otto adorou estar com ele o dia inteiro, acho que vai sentir um pouco de falta. Eu, embora sinta falta e ame ficar com ele em casa, já me acostumei, fazer o quê?!
Esta é uma das fases mais gostosas, embora todas sejam maravilhosas e embora as noites de sono fiquem bem perturbadas por conta dos dentinhos, nossa! Estou um bagaço!
Mas, há sempre mais delícias pra contar...
O Otto está sapeca. Como todo bebê de sua idade, não pára. Anda pelos móveis, engatinha por toda a casa e agora começou a apontar para o que quer. Quando quer água aponta pro copinho e assim também com os brinquedos, o colo do Papai.
Está andando também dentro do cercadinho, que fica em Saquarema, ficamos lá na última semana pra tentar adiantar a obra, e ele ficou muito no cercado por conta do chão não estar apropriado para ele e ainda assistia tv em pé, menino esperto! Depois coloco o vídeo.
Já está falando monossílabas, Da da da, Pa pa pa, Ma ma ma, além da língua dele, claro, o bebenês.
Não vou comprar andador, prefiro comprar carrinho de passeio, ou qualquer outra coisa pra ele, vai usar pouco e estamos dando prioridade a nossa obra, pra nos mudarmos logo.
Recebemos o convite do 1 aninho do Joaquim e com certeza estaremos lá!
Além da sapequice, também está fazendo pirracinha, batendo com as pernas, as mãos, quando algo o desagrada, sabe! E fala muuito brincando, risos!
Já transpõe o que estiver na frente dele, pra ir onde quer. Engatinhando ou andando pelos móveis passa por cima de colchonete, travesseiro, é esperto.
Está chegando meu primeiro dia das mães, oba!
Só não sei que confusão vai ser isso, pois antes do Otto, era eu com minha màe e Gu com a dele, e agora, com ele, Gu vai querer ficar conosco e se minha casa já estivesse pronta, com certeza faria um almoção lá para mãe, irmães que já são mães e sogra, mas...não vai dar!

Agora vamos ao desenvolvimento do nono mês!

Nesta etapa, o bebê repete sílabas como “dá, má, pá”, preparando-se para pronunciar as primeiras palavras. Presta atenção quando falam com ele. A partir de agora, ele se interessa por detalhes, apanha e observa objetos pequenos como pedrinhas, botões ou grãos de feijão. Tira brinquedos de caixas. Ultrapassa obstáculos para alcançar objetos que chamam sua atenção. Procura um brinquedo que foi escondido na frente dele.

Tantas descobertas e atividades podem fazer com que ele fique agitado e custe a dormir, ou passe a acordar de madrugada. A brincadeira preferida dessa fase é jogar as coisas ao chão e observá-las cair. O bebê faz isso porque está adquirindo a noção de “em cima e embaixo” e, embora possa ser irritante para algumas pessoas, os adultos devem ter paciência devolvendo os objetos para o bebê.

O pequeno explorador agora passa a examinar cada canto da casa e as tomadas costumam atraí-lo. Para evitar choques, é preciso cobrir as tomadas com tampas plásticas de encaixe.
9° mês completo

PesoMeninos – 8,9 kg

EstaturaMeninos – 69 cm