domingo, 17 de janeiro de 2010

Transição para Mini cama e o gostinho de liberdade!

Gente, esse fim de semana fizemos a transição do Otto para a mini cama.

Foi uma decisão pensada, analisada, protelada pois já vinha pensando em fazê-la desde novembro.
Decidi que só a faria, quando ele aprendesse a descer dos sofás, da cama turca, das cadeiras do jardim. Ele aprendeu no fim do ano e daí pensei, deixa ele se aprimorar e aprender a não cair, apesar de nunca ter caído de lugares tipo a nossa cama e tal.

Conversei com ele, contei que íamos tirar o berço do quarto pois ele era um menino muito esperto e já poderia dormir numa cama como a do Papai e da Mamãe, elogiamos muito a cama e ele ficava acarinhando-a e rindo, feliz mas ressabiado.

E fiz planos, como montar a mini cama cedo, logo pela manhã pois aí no soninho das 10h ele já dormiria nela, mas não conseguimos.
Montamos e tentamos no soninho da tarde mas, ele não teve sono, por conta da euforia com o balanço que ganhou e o papai colocou na árvore do jardim.
A noite, fomos ao aniversário do Jorge Henrique e voltando de lá tentamos colocá-lo pra dormir, mas ele não ficou. É querer demais não é?!

Então no dia seguinte, fiz a rotina (banho, mamadeira e coloquei ele lá) como fazia no berço e, aconteceu o imaginado. Ele rolou e se esfregou com o soninho, mas desceu da cama e fugiu do quarto rindo.

Sentiu o gostinho da liberdade, risos! Tô frita!

Mas, tive um lampejo e pensei, ele vai ficar enjoado pra dormir e quando acontecer, eu vou ninar (nunca havia feito antes), pois ele sempre dormia quando o colocava no berço depois do banho e da mamadeira (rotina).

Fechei a porta do quarto e comecei a cantar (mesmo não o fazendo ninar, em nossa rotina perto da hora de dormir, no banho da noite e na mamada, cantamos canções de ninar), e deu certo.
Está lá o pequeno Otto dormindo em sua cama, ufa!

Percebi com isso que a rotina do bebê, vai mudar...
Agora não mais poderei deixar ele lá pra dormir, terei que ninar. Mas, tudo bem. O importante é ele acostumar, gostar e dormir bem em sua caminha.

O importante é ele perceber que está crescendo e que isso é legal!







Obs: Flávia adorei ser indicada ao selinho. Parabéns mais uma vez pelo blog, está lindão!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Otto é "êís"!

Lendo.
Socializando.

Hi-5.

Praia.

Plantinha com sede.

Farra na piscina.

Descobrindo texturas.

E aí, meu povo? Fim de ano passou, ano novo chegou e...muita coisa mudou, pelo menos aqui em casa.
Bom, 2009 foi ano de realizações pra nossa família. Só temos a agradecer e ponto final.

Comecei o ano, lendo ainda mais sobre o desenvolvimento do filhote, pra me encher de informação sobre a melhor maneira de criá-lo, educá-lo, estimulá-lo.
Esse ano ele vai pra creche, não decidimos ainda qual, mas é uma questão geográfica, risos.

Acho importante demais a nossa participação nas brincadeiras, no manuseio com os brinquedos, em mostrar como funciona, porque assim damos a eles segurança pra mexer e brincar sozinho, conquistando individualidade.
Quando a gente brinca junto, tem muito mais em jogo.
Tem afeto, tem o sorriso de felicidade do nosso bebê ao perceber que estamos interessados no mundinho deles.
Tem a nossa conquista como pai/mãe em poder estar perto, nem que seja por pouco tempo, mas que precioso e proveitoso ele seja.
Tem a troca de olhar, as carícias, as gracinhas que só fazem pra gente, a cumplicidade...aquela que vem desde a gravidez, fica cada dia mais e mais forte, intensa, bonita de se ver.

Quando deixo o Otto na casa da vovó, e olha que é sempre por meia hora, pois não sei ficar mais que isso longe, recompensa ver a carinha dele de felicidade a hora que chego, corre pra me abraçar, agarra meu pescoço e me beija, me beija, me beija. E quem está em volta sempre comenta, nossa, que saudade dessa mãe.

Porque além da "cumplicidade umbilical", procuro ser a melhor pessoa do mundo pra ele.
E incluído nisso está a diversão, as atividades estimuladoras, as brincadeiras, a farra no jardim ao molhar as plantas (afinal ele sai todo molhado também), na praia, a troca de amor, de olhar, enfim...
Brinco mesmo, me encho de areia mesmo, me sujo de gouache mesmo, me jogo no chão sim. Porque quero que meu filho tenha de mim a lembrança mais bonita, mas feliz.
Porque quero dar afeto e ser presente, sempre!

Vou postar fotos das nossas farras em casa.
E fica aqui o meu desejo que esse texto estimule as mamães para que façam cada vez mais farra com seus filhotes.

Só pra terminar, eu pergunto pro Otto: - O que o Otto é?

Ele sorri e responde: - "êís" (traduzindo: FELIZ)

Nesse momento eu penso...

...Então, missão cumprida.