sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Desde cedo, bons hábitos de sono!

Nada como uma noite de sono tranqüilo! Desde cedo, os pais sonham que seus filhos durmam bem, de preferência a noite toda, sem despertar. Muitas vezes, pedem conselhos aqui e ali para conseguir este feito, em busca de uma fórmula mágica. Afinal, quando as crianças dormem, os pais podem relaxar e descansar. Mas como fazer para que seu filho durma bem desde pequenininho?
O segredo está em estabelecer uma rotina. A criança precisa entender, desde bem pequena, a diferença entre o dia e a noite, e aprender que a noite foi feita para dormir. Daí a necessidade de uma rotina antes do sono, de horários mais ou menos estabelecidos e atividades que, noite após noite, se repetem, mostrando que a hora de dormir chegou.

A criança precisa comer durante a noite?

É um erro achar que a criança deve ser acordada para comer durante a noite. A única exceção fica por conta do recém-nascido, até mais ou menos o 20º dia de vida, quando seu estômago ainda se esvazia rapidamente. Os intervalos para alimentá-lo, neste caso, deve variar entre 2 a 4 horas, e não mais do que isso.
Depois de maiores, as crianças não devem ser acordadas para comer. Se ela está dormindo 5, 6 horas durante a noite, por exemplo, é sinal de que não está incomodada, seja por fome ou por qualquer outro problema.
E outro erro é, ao menor sinal de despertar da criança, os pais correrem para "acudi-la". Muitas vezes, qualquer resmungo já é motivo para a mamãe estar ao lado do berço. O ideal é esperar um pouco para ver se a criança volta a dormir. Às vezes, ela simplesmente despertou e, se não for estimulada, voltará a dormir naturalmente. É claro que você não vai deixar o pequeno chorar insistentemente. Se o choro é repetido, é imprescindível checar o problema.

Desde bem pequeno, acostume-o a dormir no próprio quarto:

É fundamental que o bebê passe a dormir no próprio quarto o quanto antes. O ideal é que ele durma com os pais no máximo até o 2º mês de vida, quando as mamadas noturnas ainda interrompem demais o sono de todos.Depois disso, ele deve ir para o próprio quarto, e assim aprender que toda a família deve ter privacidade. Por isso mesmo, é bom que o bebê seja colocado no berço sonolento, mas ainda acordado. Ele vai entender, com isso, que o lugar de adormecer é o berço.Estabeleça um ritual para o bebê.

Crie uma espécie de ritual para a hora de dormir:

O horário vai depender muito da rotina e dos hábitos de cada família, mas é bom que seja mais ou menos o mesmo todos os dias.Além disso, dar banho à noitinha é ideal para relaxar e tranqüilizar a criança, preparando-a para a hora do sono. Depois do banho, trocá-la e alimentá-la vai, pouco a pouco, criando o ambiente ideal para que ela adormeça. Massagens e brincadeiras bem leves também podem ser utilizadas.
Depois de tudo isso, é só ficar atento ao quarto do bebê, que deve estar calmo e silencioso.
Agora, é hora de dormir como um anjo! Boa noite!

Fonte: www.meubebezinho.com.br

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Fim de Semana.

Este é o bebê lindo da mamãe....que sorrisão gostoso!!!!







Passeando com a Mamãe e o Papai que como sempre, tira fotos maravilhosas!



Com o Papai, que é muito coruja e adora ficar com o bebê no colinho.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Artigo: Mãe e bebê - a importância da interação.

Pesquisa comprova: crianças que recebem estímulos maternos no primeiro ano de vida têm menos chance de ter problemas de comportamento no futuro.
Ana Paula Pontes

Você já parou para pensar no quanto seu filho aprende no primeiro ano de vida? E no quanto o papel da mãe é fundamental nessa etapa? Isso é o que comprova um estudo elaborado por Benjamin Lahey e sua equipe da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos.

A pesquisa, que analisou 1.800 crianças, sugere que a maneira como as mães interagem com os bebês até 1 ano de idade interfere no comportamento da criança entre 4 e 13 anos. Os cientistas avaliaram as reações das crianças em vários tipos de atividades e os estímulos que recebiam da mãe. O resultado indicou que, aquelas estimuladas no primeiro ano de vida, apresentam baixo risco de ter problemas de comportamento, como mentiras, desobediência, entre outros.

Há quem pense que a criança não aprende nada quando ainda não tem 1 ano de vida. “O enorme trabalho neurológico e químico que um bebê faz nos primeiros 12 meses não acontecerá dessa maneira em nenhuma outra fase de sua vida”, diz Rita Calegari, chefe do setor de Psicologia do Hospital São Camilo.

Aquele bebê, que parece não interagir com os pais nos primeiros dias, logo começa a reconhecer as pessoas, a falar, andar e mexer em objetos. Todo o aprendizado nessa etapa se refletirá na sua forma de se relacionar com o mundo. E os cuidados maternos, cujos estímulos vão desde uma troca de fralda ou da amamentação, por exemplo, vão definir seus valores, caráter, nível de tolerância.

“A mãe precisa suprir as necessidades da criança o suficiente e entender também que o exagero é tão nocivo quanto a falta de cuidado”, diz Rita. A psicóloga enfatiza que, atender aos desejos das crianças de maneira equilibrada, permite educá-las mais felizes, satisfeitas e menos ansiosas. Por outro lado, aquelas que sofrem violência física no dia-a-dia carregarão essa atitude como um valor.

Esse carinho tem de estar presente também na pessoa que fica com a criança enquanto os pais estão trabalhando. “É preciso que, muito mais do que os cuidados básicos, como dar banho ou a papinha na hora certa, a criança seja estimulada mesmo longe dos olhos dos pais, seja com uma música, um brinquedo ou um banho de sol”, completa a especialista.

Artigo: Olhar que estimula.

A atenção dos pais é o fator mais importante para o desenvolvimento emocional das crianças. “A troca de olhares ativa o cérebro, fazendo suas células formarem novas conexões”, diz Laís Maria Valadares, pediatra e presidente da Associação Mineira de Estudo sobre o Bebê.
Uma pesquisa da Universidade do Colorado (EUA) mostrou que bebês de 4 meses, filhos de mães deprimidas, são menos estimulados e têm atraso na aprendizagem. Para os cientistas, o fato de receberem menos carinho é o que justifica o mau desempenho.

0 a 6 meses:
O contato físico é importante para que o bebê aprenda a diferenciar o seu corpo do dele. “Converse de perto com a criança, porque ela aprende sobre o próprio sentimento vendo as suas expressões”, diz Áderson Luiz Costa Junior, professor do Instituto de Psicologia da UNB, em Brasília (DF). Também abuse da brincadeira do “achou”, sumindo e reaparecendo em seguida. “A criança elabora a noção de afastamento dos pais, começando a entender que você sai, mas sempre volta”, diz Diana Pancini de Sá Antunes Ribeiro, professora de psicologia da Universidade Estadual Paulista (SP).

7 a 12 meses:
A separação da mãe é sofrida, mas a reação costuma ser passageira. Quando for se afastar da criança, dê um beijo e saia, mesmo com as lágrimas. Sair à francesa enquanto o bebê está entretido numa atividade o fará se sentir enganado e, nas próximas vezes, ele ficará atento a você e resistente a brincadeiras.

1 a 2 anos:
Seu filho busca atenção dos adultos, portanto cuidado para não valorizar um comportamento negativo. Por exemplo, se ele puxa o rabo do cachorro e você ri, é bem capaz que repita a travessura outras vezes. Como a criança está começando a lidar com os sentimentos, ajude-a a expressar palavras que vão descrever emoções.

3 a 5 anos:
Ele se interessa por outras crianças, além das que convivem com ele no colégio. Leve-o a parques e lugares onde possa fazer amigos. As brincadeiras preferidas são as que imitam o mundo real, como escola e casinha, que o ajudam a lidar com as situações da vida. A imaginação também está a todo o vapor, portanto, deixe fantasias e roupas velhas disponíveis para que ele se vista de Batman, princesa, cachorro etc.

6 a 8 anos:
A criança entende que as suas experiências são diferentes das dela. Incentive-a a contar sobre o que fez. Por exemplo, se ela for ao cinema sem você, peça para falar do enredo, aprofundando nos detalhes das histórias dos personagens.

DICAS DA CRESCER •

O leite materno é um dos melhores estímulos que você pode dar ao seu filho nos primeiros meses de vida. Além de todos os benefícios que você já conhece, uma pesquisa recente da Universidade de Montreal, no Canadá, acompanhou 14 mil crianças do nascimento até os 6 anos e meio de idade e descobriu que aquelas que receberam leite materno exclusivamente tinham o QI até 7,5 pontos maior do que as outras. Aproveite seu estímulo natural! • Até o quarto ano, a criança tem dificuldade em dividir. Converse com seu filho desde pequeno, dizendo que ele fará mais amigos se souber compartilhar os objetos. Caso insista na birra, interfira e faça a divisão do brinquedo. Se ele tiver dois carrinhos e desistir da brincadeira ao ver você entregando um deles para o colega, não dê os dois à outra criança. O melhor é guardar o carro até que ele resolva brincar novamente. Assim, perceberá que uma parte do brinquedo é dele, não tudo.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Artigo: Dermatite Seborréica por Dráuzio Varella

Dermatite seborréica, também conhecida pelos nomes de seborréia, caspa ou eczema, é uma afecção crônica que se manifesta em partes do corpo onde existe maior produção de óleo pelas glândulas sebáceas ou a presença de um fungo, o Pityrosporum ovale.
Ela se manifesta sob a forma de lesões avermelhadas que descamam e coçam principalmente no couro cabeludo, sobrancelhas, barba, perto do nariz, atrás e dentro das orelhas, no peito, nas costas e nas dobras de pele (axilas, virilhas e debaixo dos seios).
Nos bebês, é conhecida como crosta láctea, uma placa gordurosa que adere ao couro cabeludo, mas que pode também aparecer na região das fraldas.
A dermatite seborréica não é contagiosa.

Causas:
As causas da dermatite seborréica não são conhecidas. Sabe-se que alterações hormonais, estresse, clima seco, frio e mudanças bruscas de temperatura agravam o quadro.

Sintomas:
Lesões avermelhadas com descamação e coceira que pode ser mais ou menos intensa. No couro cabeludo, essa descamação pode soltar-se e cair em pequenos fragmentos, dando origem ao que popularmente se chama de caspa.

Recomendações:
·Caspa não é sinal de falta de asseio nem prenúncio de queda de cabelos e pode ser controlada com alguns produtos especiais de uso local. Procure a orientação de um dermatologista;
·Evite a ingestão de alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas;
·Não tome banhos muito quentes.
.Enxugue-se bem antes de vestir-se. A umidade pode ser fator desencadeante das lesões; ·Procure usar roupas que não retenham o suor. Tecidos sintéticos costumam ser contra-indicados para quem tem tendência à dermatite seborréica;
·Tente controlar o estresse físico e mental e a ansiedade. Não é fácil, mas ajuda;
·Retire completamente o xampu e o condicionador dos cabelos quando lavar a cabeça;
·Passe óleo mineral na cabeça do bebê antes de remover a crosta láctea.
.Troque suas fraldas com freqüência. O contato úmido da fralda com a pele da criança pode favorecer o aparecimento de erupções cutâneas.

Tratamento:
Não existe tratamento para a cura definitiva da dermatite seborréica, mas existem medicamentos específicos para a pele e o couro cabeludo capazes de controlar os sintomas.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Artigo: Fazendo o bebê dormir bem.

O livro "Sono - Guia passo a passo para os pais", da Série Johnson's Saúde e Carinho, da Publifolha, traz as informações essenciais sobre o sono dos bebês, desde os recém-nascidos até os pré-escolares. Além de esclarecer as dúvidas dos pais, o guia apresenta as estratégias que garantem o sono e a qualidade de vida da criança.

Reprodução:
Guia ensina a garantir o bom sono do bebê A Série Johnson's Saúde e Carinho, editada no Brasil pela Publifolha, oferece todas as dicas necessárias para cuidar dos primeiros anos de vida de seus filhos. Ricamente ilustrada, a coleção completa tem oito volumes. Como adianta o subtítulo dos livros --"Guia Passo a Passo para os Pais"--, eles abordam o desenvolvimento e os cuidados com o bebê, acompanha cada fase mês a mês e esclarece as dúvidas de pais de qualquer idade. Com consultoria da médica pediatra Renata Dejtiar Waksman e da enfermeira obstetra Mônica Antunes Portella Gazmenga, a série explica as atividades e brincadeiras mais adequadas dos três primeiros anos de vida da criança para estimular a confiança e a auto-estima do bebê. Leia a seguir como deixar o bebê tranqüilo para dormir.

COMO TRANQÜILIZAR O BEBÊ:

Como posso ajudar meu filho a dormir?

Às vezes, seu bebê recém-nascido cai no sono imediatamente, mas em outras ocasiões ele se recusa a sossegar, acordando e chorando toda vez que você o deita. Não se esqueça de que ele acabou de abandonar o ambiente quentinho, aconchegante e seguro de seu útero. Pode levar algum tempo para ele se adaptar a este estranho mundo novo. O segredo para enfrentar os primeiros dias é fazê-lo se sentir confortável e seguro, criando um ambiente tranqüilo para ele.

Movimentos calmantes:
Quando ele estava no útero, era embalado pelos movimentos que você fazia no dia-a-dia. Fora do útero, os movimentos ainda têm esse efeito nele. Embalar, balançar e dar tapinhas enquanto o acaricia no colo contribuem para acalmá-lo - e adormecê-lo - nas primeiras semanas. Após alguns meses, é melhor ajudar seu filho a se reconfortar e a adormecer sozinho. Mas, por enquanto, ele precisa de você.

Sons suaves:
No útero, seu bebê estava acostumado a ouvir sons reconfortantes: seu batimento cardíaco, os ruídos do seu estômago e os tons suaves de sua voz. Agora que nasceu, talvez fique difícil adormecer sem esses sons de fundo. Ele vai gostar de ouvi-la conversar baixinho ou cantar para ele. Ou ele pode se acalmar com o ruído rítmico do ventilador, da máquina de lavar ou de músicas especiais. Você poderia até tocar para ele uma gravação de sons uterinos.

Ajudá-lo a se sentir seguro:
Como seu filho estava acostumado a ficar encolhido num espaço pequeno, o imenso espaço do berço talvez o deixe inseguro. Se seu filho parecer pouco à vontade no berço, experimente colocá-lo num cesto ou até no carrinho, deitando-o num ambiente quase tão pequeno quanto o útero.

De barriga cheia:
Se possível, procure fazer com que a última mamada antes de dormir seja abundante. Se ele adormecer antes de mamar bastante, mude-o de posição, faça cócegas no pezinho e esperte-o para que termine a mamada; caso contrário, ele logo despertará para acabar de mamar.

Aromas tranqüilizantes:
Seu filho tem um olfato aguçado e, especificamente, vai achar o cheiro da mãe muito reconfortante. Por isso, você pode deixar uma fralda de pano ou um lenço dentro de sua blusa por algum tempo, de modo que pegue seu cheiro, e colocá-lo no berço, preso com segurança.

Fonte: Folha Online.

Artigo: Colo Vicia?

Uma das grandes dúvidas dos pais, principalmente os de "primeira viagem", é se o colo pode "viciar" o bebê. No útero, o contato do bebê com o mundo externo está muito limitado pelo corpo da mãe e ele fica protegido de odores e sons que poderiam lhe ser desagradáveis. Além disso, a temperatura é perfeita: ele não sente frio nem calor; ele não sente fome; não tem cólicas... Mas, de uma hora para outra, ao nascer, o pequeno é bombardeado por uma variedade de cheiros, barulhos, sensações novas e isso deve ser extremamente desagradável, uma vez que ele precisa sentir-se seguro através do que já lhe é familiar.
Bem, vocês acham que após viver nove meses no calor e segurança do útero, envolvido totalmente por um líquido, o bebê vai achar muito normal dormir num berço, que para ele, com certeza, é enorme e onde ele tem contato com novas texturas, onde tudo é novo e muitas vezes assustador? Acho que seria natural a consciência de que ele precisa de um tempo para se adaptar ao mundo externo, e isso depende de bebê para bebê, pois cada um é uma pessoa única e especial, com suas necessidades e potencialidades específicas.
Creio que também não é difícil perceber que ele vai precisar de todo apoio e segurança que os adultos a sua volta podem oferecer. Embora tenha como principal forma de comunicação o choro, muitas vezes achamos que ele só pode chorar se estiver com fome, molhado, com frio, com calor... Bem, alguém pode alegar que ele é manhoso, ou seja, está chorando para enganar o adulto e ganhar um "colinho". Não existe bebê manhoso! O bebê ainda não tem a capacidade de mentir e enganar que nós adultos temos. Assim que o bebê se sente em uma situação de angústia, ele usa o único idioma que conhece: o choro.
Então, se ele está chorando, é sinal de que alguma coisa não vai bem. Isso não quer dizer apenas na parte fisiológica, como fome ou frio, mas talvez ele tenha ouvido um som ameaçador, como o bater de uma porta, que você, por estar acostumada, nem ouviu. Pode ser ainda que ele sinta saudades da sensação de segurança que o útero lhe proporcionava, e esteja sentindo um pouco de solidão. Qual a solução?? Colo nele!! Envolva-o nos braços, fale palavras bonitas ao seu ouvido, cante uma canção, explique que tudo está bem, que você está presente e que se importa com ele. Ele vai adorar e retribuir, creia nisso.
O bebê é um excelente ouvinte e adora uma boa conversa. Bastam algumas palavras de amor e apreço para que esse ser tão especial aceite-nos como amigos e confie em nosso acolhimento. Pense no bebê como alguém que acabou de chegar de uma viagem muito desgastante, que está confuso e preocupado em saber se vai conseguir se adaptar, encontrar amigos, ser aceito. O colo seria para o bebê como uma afirmação de que ele pode contar com aquela pessoa. O colo é uma declaração de amor e amizade. É como chegar para um amigo adulto e dizer: "pode contar comigo quanto precisar. Eu estou aqui." Se você não precisa saber que pode contar com as pessoas que ama, o bebê também não precisa de colo. Se ter bons amigos pode se tornar um vício, o colo também pode.

Fonte: desconhecida.

A Comunicação do Bebê

Antes mesmo de falar, as crianças já se comunicam com os pais por meio de olhares, gestos e sorrisos. A aquisição do vocabulário de uma criança está diretamente ligada ao quanto a mãe fala com ela. Como a criança só é capaz de dizer o primeiro “mamãe” ou “papai” perto dos 12 meses de vida, até conseguir isso ela se vira muito bem com um grande ferramenta que tem para expressar ao mundo o que sente: seu corpo.
Os órgãos do sentido funcionam como um radar. O bebê não entende o conceito da frase falada, mas sabe o que está por trás disso. Ele percebe a diferença de ser chamado com uma voz suave ou ríspida, ser pego no berço de modo carinhoso ou apressado, o ter a fralda trocada por alguém com cara amarrada ou sorriso aberto. Em resposta, a criança usa recursos corporais como sorrir, franzir o cenho, mexer as mãos ou até abrir um berreiro.
Os bebês não chegam ao mundo falando por que o cérebro humano não nasce suficientemente maduro para isso. Porém, a velocidade com que uma criança aprende a falar é impressionante. Do primeiro para o segundo ano de vida acontece um boom, no qual a criança passa de um repertório de quarenta para em média 600 palavras. Daí para frente não para mais de aprender a falar.

Como eles choram...
O volume do choro de uma criança pode variar de um murmúrio a um berro de 84 decibéis, semelhante a uma britadeira. As razões que levam uma criança a chorar também variam e, com o tempo, os pais passam a identificá-las ao primeiro acorde. Há, no entanto, três tipos principais:
Manha: é a grande arma da criança para fazer prevalecer sua vontade. Aparece nos momentos de birra, quando a criança sente ciúme ou é proibida de fazer algo.
Mágoa: é um choro comum também entre os adultos, o que muda é a situação. A criança chora quando uma brincadeira dá errado, sente medo de ficar só ou em outras situações semelhantes.
Dor: todo mundo sabe o que é sentir dor a ponto de chorar. Nas crianças, isso não acontece apenas quando ela se machuca, mas também quando está com frio ou fome.

Como sorriem...
Estudo recente mostra que o sorriso das crianças ajuda na vida social. As crianças mais sorridentes costumam atrair a atenção dos professores na escola, têm a preferência dos avós e tios e, entre os amigos, são tidas como pessoas “legais”. Assim como o choro, há um sorriso para cada situação, que pode ser agrupado em três famílias:
Fechado: é aquele sorriso envergonhado, acompanhado muitas vezes de um rubor na face. É dado normalmente quando a criança fica sem graça ao receber uma crítica ou elogio.
Superior: é o sorriso social, quando a criança quer apenas ser agradável. É usado quando alguém lhe conta uma história ou quando a criança é apresentada aos amigos dos pais.
Largo: é a demonstração máxima de felicidade, de diversão. É a risada expressiva, com direito a som, quase uma gargalhada. A criança dá essa risada larga quando está se divertindo em brincadeiras ou depois de uma travessura.

Primeiro passeio. Já se comunica conversando e sorrindo!


Olá meu povo!! Otto está cada dia mais esperto, coisa mais linda!
Está conversando comigo e com Gu, sorrindo muito, acorda num bom humor...e agora começou a falar "agu", risos!
Este fim de semana foi super tranquilo. Fomos ao Campo São Bento passear e tiramos fotos lindas, ele ficou acordadão e até mamou lá.
No domingo recebemos a visita dos avós paternos e foi super bacana pois curtiram bastante o Otto, coisa que ainda não haviam conseguido fazer.
A acne neonatal está desaparecendo (Graças a Deus) e a alergia está controlada, mas estamos em observação e estou pensando em levá-lo a um alergologista, uma vez que tem histórico de alergia de minha parte e da parte do Gu.

Coisas para rir e registrar:

Uma amiga nossa, a Roberta que mora em Milão, mostrou a foto do Otto para seu filho de 4 anos o Maurício e disse que era nosso filho, ele muito engraçadinho falou: "Não é filho deles não, é Maurício pequenino". Coisa linda!!!

Vou postar um texto sobre a acne neonatal, comum em 30% dos recém-nascidos.

Acne neonatal: não se assuste com as espinhas do bebê
Inflamações no rosto dos recém-nascidos, não são graves nem requerem tratamento
Acne não é exclusividade dos adolescentes e adultos; pode atingir também os bebês. Esse distúrbio aparece com mais freqüência durante a adolescência devido à atividade excessiva das glândulas sebáceas e à obstrução da abertura do folículo pilosebáceo – que dá origem aos cravos –, mas o problema também atinge mais de 30% dos recém-nascidos. A chamada “acne neonatal” é comum entre a terceira e a quarta semanas de vida da criança e pode durar até seis meses.
Esse tipo de acne surge em bebês com predisposição genética, após a liberação dos hormônios maternos durante a gestação, amamentação e período pós-parto. “A reação à transferência de hormônios da mãe para o bebê é natural; eles costumam permanecer no organismo da criança por aproximadamente seis meses. Provocam o surgimento de espinhas e pequenos cravos, porém não é aconselhável espremê-los, já que não são graves nem deixam cicatrizes”, explica Mario Grinblat, médico dermatologista do Hospital Albert Einstein.
As lesões formadas se caracterizam por cravos pretos ou brancos, espinhas avermelhadas e, em casos menos comuns, espinhas com pus. Com raras exceções, os pais não devem se preocupar, já que as acnes costumam desaparecer espontaneamente. O uso de óleos e pomadas para bebês não é recomendado; não são eficientes e podem até agravar o caso.


Fonte: Dr. Mário Grinblat, dermatologista do Hospital Albert Einstein.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Primeira viagem.

Fomos a Saquarema e pegamos a estrada na sexta a noite. A ida foi cansativa, para o Otto e para mim também, mas precisávamos sair um pouco de casa, já que só fazemos isso para ir a médico ou tomar vacinas.
Chegamos na casa da Vovó Diléia e do Vovô Cilésio e logo chegaram várias visitas Tia Marize, Mazinha, Alessandra, Tia Cidélia com Tainara e ainda Tia Letícia, com o baby na barriguinha e Rafa.
Aconteceu algo inusitado, Otto estava no colo de Tícia e fui pegar pra trocar a fralda e falei: "Vem com a Mamãe pra trocar a fralda".
Neste momento Rafa olha pra mim e fala: "Você não é mãe dele". E fomos contradize-lo e explicar. Daí ele olhou pra Tícia um tanto confuso e falou: "Ele não é seu filho não, mãe?"
Gente a cabeça da criança está confusa, coitadinho!!!!!
E na hora de eu ir embora ele não aceitava de jeito nenhum que eu levasse Otto comigo, deixei chorando de soluçar, pena!
Melhor que esta, foi quando Tícia mostrou a ultra da gravidez dela pra ele e explicou que aquela era uma foto do bebê, irmão ou irmã dele que ia nascer. Ele olhou pra Tícia sério e falou: "Mãe que neném feio, por isso que você tá passando tão mal"

GENTE, ELE SÓ TEM 4 ANOS!!!!!! kkkkkkkkkkkkk!

A viagem foi legal! Levamos Otto para ver o mar pela primeira vez, pena que estava ventando bastante e não pudemos caminhar um pouco na orla.
Além de nosso passeio até a praia, pelo nosso tradcional caminho, recebemos a visita de Marua Eduarda, Xuxa e Andrea além de Marina e Vanessa. Otto ganhou presentes, que bacana, cada roupa linda!
Foi também um pouco cansativa e estressante, pois como estamos em ano eleitoral, Saquarema vira um caos e os políticos tem a audácia de gastar rios de dinheiro com fogos de artifício como se isso fosse trazer mais votos pra eles, enfim!
Apesar do contratempos na sexta e no sábado, durante o dia Otto dormiu bem, mas nos deu um cansaço.
Mas valeu para vermos que não é assim tão simples viajar com bebê de 1 MÊS de idade, embora as pessoas achem o contrário. Dormir fora de casa, tão cedo não o faremos!

Bom, vou postar uma foto de Otto com o Papai na praia da Vila pela primeira vez e o marzão de ressaca.

A EVOLUÇÃO DOS BEBÊS:

Sustentar o pescoço:

Entre o primeiro e o segundo mês, o pequeno já faz um esforço danado para tentar erguer a cabeça. Alguns chegam até a ficar coradinhos com o exercício. Não se assuste se você der os dedos para seu filho agarrar e ele resolver usá-los como barra de apoio para tentar levantar a cabeça. Para estimulá-lo: quando colocar o nenê no carrinho, incline um pouco o assento e converse bem próximo ao rosto dele de forma que o pequeno tente se aproximar de você.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

1 mês! Muita saúde e felicidade!


Olha este biquinhoooooooooooooooo! Amooooo!



Otto está completando 1 mês e só temos de agradecer a Deus por toda esta graça recebida! Enchendo a mamãe e o papai de orgulho, engordou 800gr em 15 dias e está pesando 3.500kg e medindo 51,5 cm! É um bebê muito calmo, que coisa boa! Estamos muito felizes e orgulhosos pois estamos nos saindo muito bem como pais de primeira viagem e nosso bebê completou a nossa família!
Hoje nosso dia começou com os parabéns que o Papai e eu cantamos para ele, logo pela manhã, afinal ele está fazendo mesversário! kkkkkkk!
Ele está lindo, cheio de graça, encantador, gordinho, cheio de dobras a cada dia que passa, somente mamando no peito, coisa boa!
Esta semana, lá pela segunda-feira apareceu no rosto dele umas bolinhas com a ponta amarela, já está sendo tratado, liguei para a Pediatra e ela receitou uma pomada.
Mas, como ela não o viu, fui pesquisar na net pra saber do que se tratava, pois me parte o coração ver aquela pele tão linda cheia de bolinhas. Bom, parece que são hormônios e a alta produção das glândulas sebáceas, ou seja, espinha neo-natal, nem sabia que isso existia, ser mãe é aprender a cada dia, uau!!!! Estamos tratando e logo a pele dele volta a ser deliciosa!
Ah, já ia me esquecendo, cortei enfim, meus cabelos. Ufa! Não estava aguentando mais ele roçando na minha nuca com este calor, imagina...
Vou postar fotos dele neste primeiro mês de vida e tb postar sobre o desenvolvimento do bebê.

Bjs!
-----------------------------------------------------------------------------------
A EVOLUÇÃO DO BEBÊ

PRIMEIRO MÊS

No primeiro mês, a visão do recém-nascido é limitada e sem nitidez. Ele pode perceber objetos e pessoas, e esta percepção vai melhorando com o passar dos dias. O bebê não é mais tão passivo quanto ao nascer. Já consegue se mover mais do que nas primeiras semanas, enrugar a testa e dilatar as narinas. Sua respiração é barulhenta e irregular, dorme a maior parte do tempo e só fica acordado quando mama, durante a troca de fraldas ou o banho. É comum que ele acorde durante a noite para mamar. Ao completar um mês de vida a audição está aguçada e ele reage aos sons mais altos e pode assustar-se com ruídos inesperados. Também está pesando entre 400 a 500g a mais do que quando nasceu. Sua cabeça é grande e pesada, mas aos poucos vai fortalecendo o pescoço. É capaz de erguê-la quando de bruços e consegue mover simetricamente os pés e as mãos. Ele já pode reconhecer a mamãe pelo cheiro. O sistema imunológico do bebê vai se fortalecendo aos poucos, mas ele ainda precisa contar com os anticorpos que recebeu do sangue da mãe quando estava no útero e com os que ingeriu ao sugar o colostro.
Choro:
De tanto chorar, ele vai descobrir ser esse o seu melhor recurso para conseguir atenção.Nesta fase, o bebê chora para demonstrar que algo está incomodando, ou que suas necessidades básicas não estão sendo atendidas. As causas mais freqüentes do choro são: fraldas sujas, fome, roupas apertadas, sede, alfinetes ou insetos picando sua pele, frio ou calor, cólicas, sapinho, brotoejas e assaduras, dor de ouvido e febre.
O sono do bebê:
A maioria dos bebês dorme em média 21 horas por dia.Bebês inquietos dormem menos, de 19 a 20 horas diárias.Bebês mais calmos passam até 22 horas dormindo por dia.

Alimentação:
O leite materno é perfeito. Ao amamentar, você está dando vantagens ao bebê em relação à saúde, crescimento e desenvolvimento. O seu leite lhe fornece anticorpos que previnem futuras infecções. Ele também ajuda seu filho a desenvolver os músculos faciais, já que o recém-nascido faz um esforço ao sugar. Este esforço, se bem sucedido, traz inúmeras recompensas neurológicas - a amamentação auxilia no correto posicionamento da língua do bebê no céu da boca, por exemplo, o que vai ajudá-lo na hora de falar. Além disso, o leite possui aminoácidos que ajudam na maturação dos neurônios, garantindo um cérebro bem desenvolvido. Pesquisas recentes também indicam que o bebê que mama ou mamou no peito está mais longe de ser obeso.


E não é só isto! Além da sensação deliciosa de estar perto do seu filho, dando e recebendo amor e fazendo-o crescer, a amamentação é a maneira mais rápida de fazer seu útero voltar ao tamanho normal. Também auxilia no emagrecimento da mãe porque consome muitas calorias para a produção e liberação do leite.Quando se fornece o leite materno, o sinal fornecido pelo bebê é fundamental para verificação de quando se deve interromper a mamada. Quando o bebê está satisfeito, ele larga o bico do peito.O mais importante é: se ele não parece faminto, relaxe. Forçá-lo a mamar causará tensão neste momento prazeroso. Lembre-se que este é o início dos hábitos alimentares que irão perdurar por toda a vida. Algumas mães se preocupam em não estarem produzindo leite suficiente. Lembre-se que a quantidade de leite que você produz é uma questão de "oferta e demanda" quanto mais você amamenta, mais leite produz. É normal que o bebê se alimente a cada 1 hora e meia a 3 horas durante as primeiras semanas. Eventualmente, o intervalo entre as mamadas pode ser de 3 a 4 horas. De qualquer forma, o bebê deve ser amamentado dia e noite, sem horários fixos, sempre que tiver vontade. Para um desenvolvimento e crescimento correto, um recém-nascido geralmente precisa mamar de 8 a 12 vezes ao dia (e, em conseqüência, fazer xixi entre seis a oito vezes e evacuar no mínimo duas vezes por dia!). Junto ao pediatra você saberá se seu bebê está crescendo e se desenvolvendo normalmente.
O QUE A CRIANÇA FAZ: agita as mãos fechadas, enxerga sem nitidez e apenas o que está a menos de 30 centímetros, responde aos sons de chocalhos, sente prazer ao ser acariciada.
O QUE OS PAIS DEVEM FAZER: o principal estímulo é o toque. Isso a faz sentir-se protegida.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Sorriu pela primeira vez!



Ah, que coisa mais maravilhosaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
Otto sorriu pela primeira vez e foi pra mim, risos! Fiquei tão emocionada e com os olhos marejados.
De manhã temos por hábito colocá-lo em nossa cama, por 5 minutos, até ele reclamar pra mamar e nesta hora ele deu um sorrisão pra mim, parecia estar agradecendo por tê-lo pego...muito emocionante! Gu estava no banho e não presenciou, mas já até sonhou que Otto teria sorrido pra ele, de tanto que quer ganhar um sorrisão! Mas já já ele vai sorrir...
Está próximo de completar o primeiro mês de vida. Só temos a agradecer a Deus por este bebê lindo e saudável.
Ganhei uma máquina digital de presente e não perco um momento dele, está cada dia mais lindo e começando a enxergar melhor.
Bom, fomos a pediatra na sexta passada, dia 29/08 e tivemos a maravilhosa notícia de que ele engordou em 15 dias 830gr e está com 3.520kg e 51,5cm. Grandão, como o chama Gu.
Ah, ontem deixou de mamar pra ficar observando Gu conversando com ele, tão lindo os dois!
A EVOLUÇÃO DOS BEBÊS:
Toda vez que a criança sorrir, converse com ela e demonstre que você também está feliz.
Assim o nenê vai utilizar mais esse recurso para se comunicar.