segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Primeiro passeio. Já se comunica conversando e sorrindo!


Olá meu povo!! Otto está cada dia mais esperto, coisa mais linda!
Está conversando comigo e com Gu, sorrindo muito, acorda num bom humor...e agora começou a falar "agu", risos!
Este fim de semana foi super tranquilo. Fomos ao Campo São Bento passear e tiramos fotos lindas, ele ficou acordadão e até mamou lá.
No domingo recebemos a visita dos avós paternos e foi super bacana pois curtiram bastante o Otto, coisa que ainda não haviam conseguido fazer.
A acne neonatal está desaparecendo (Graças a Deus) e a alergia está controlada, mas estamos em observação e estou pensando em levá-lo a um alergologista, uma vez que tem histórico de alergia de minha parte e da parte do Gu.

Coisas para rir e registrar:

Uma amiga nossa, a Roberta que mora em Milão, mostrou a foto do Otto para seu filho de 4 anos o Maurício e disse que era nosso filho, ele muito engraçadinho falou: "Não é filho deles não, é Maurício pequenino". Coisa linda!!!

Vou postar um texto sobre a acne neonatal, comum em 30% dos recém-nascidos.

Acne neonatal: não se assuste com as espinhas do bebê
Inflamações no rosto dos recém-nascidos, não são graves nem requerem tratamento
Acne não é exclusividade dos adolescentes e adultos; pode atingir também os bebês. Esse distúrbio aparece com mais freqüência durante a adolescência devido à atividade excessiva das glândulas sebáceas e à obstrução da abertura do folículo pilosebáceo – que dá origem aos cravos –, mas o problema também atinge mais de 30% dos recém-nascidos. A chamada “acne neonatal” é comum entre a terceira e a quarta semanas de vida da criança e pode durar até seis meses.
Esse tipo de acne surge em bebês com predisposição genética, após a liberação dos hormônios maternos durante a gestação, amamentação e período pós-parto. “A reação à transferência de hormônios da mãe para o bebê é natural; eles costumam permanecer no organismo da criança por aproximadamente seis meses. Provocam o surgimento de espinhas e pequenos cravos, porém não é aconselhável espremê-los, já que não são graves nem deixam cicatrizes”, explica Mario Grinblat, médico dermatologista do Hospital Albert Einstein.
As lesões formadas se caracterizam por cravos pretos ou brancos, espinhas avermelhadas e, em casos menos comuns, espinhas com pus. Com raras exceções, os pais não devem se preocupar, já que as acnes costumam desaparecer espontaneamente. O uso de óleos e pomadas para bebês não é recomendado; não são eficientes e podem até agravar o caso.


Fonte: Dr. Mário Grinblat, dermatologista do Hospital Albert Einstein.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!
Fico muito feliz sempre que leio um comentário carinhoso!
Bjks e fique com Deus!