quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Artigo: Olhar que estimula.

A atenção dos pais é o fator mais importante para o desenvolvimento emocional das crianças. “A troca de olhares ativa o cérebro, fazendo suas células formarem novas conexões”, diz Laís Maria Valadares, pediatra e presidente da Associação Mineira de Estudo sobre o Bebê.
Uma pesquisa da Universidade do Colorado (EUA) mostrou que bebês de 4 meses, filhos de mães deprimidas, são menos estimulados e têm atraso na aprendizagem. Para os cientistas, o fato de receberem menos carinho é o que justifica o mau desempenho.

0 a 6 meses:
O contato físico é importante para que o bebê aprenda a diferenciar o seu corpo do dele. “Converse de perto com a criança, porque ela aprende sobre o próprio sentimento vendo as suas expressões”, diz Áderson Luiz Costa Junior, professor do Instituto de Psicologia da UNB, em Brasília (DF). Também abuse da brincadeira do “achou”, sumindo e reaparecendo em seguida. “A criança elabora a noção de afastamento dos pais, começando a entender que você sai, mas sempre volta”, diz Diana Pancini de Sá Antunes Ribeiro, professora de psicologia da Universidade Estadual Paulista (SP).

7 a 12 meses:
A separação da mãe é sofrida, mas a reação costuma ser passageira. Quando for se afastar da criança, dê um beijo e saia, mesmo com as lágrimas. Sair à francesa enquanto o bebê está entretido numa atividade o fará se sentir enganado e, nas próximas vezes, ele ficará atento a você e resistente a brincadeiras.

1 a 2 anos:
Seu filho busca atenção dos adultos, portanto cuidado para não valorizar um comportamento negativo. Por exemplo, se ele puxa o rabo do cachorro e você ri, é bem capaz que repita a travessura outras vezes. Como a criança está começando a lidar com os sentimentos, ajude-a a expressar palavras que vão descrever emoções.

3 a 5 anos:
Ele se interessa por outras crianças, além das que convivem com ele no colégio. Leve-o a parques e lugares onde possa fazer amigos. As brincadeiras preferidas são as que imitam o mundo real, como escola e casinha, que o ajudam a lidar com as situações da vida. A imaginação também está a todo o vapor, portanto, deixe fantasias e roupas velhas disponíveis para que ele se vista de Batman, princesa, cachorro etc.

6 a 8 anos:
A criança entende que as suas experiências são diferentes das dela. Incentive-a a contar sobre o que fez. Por exemplo, se ela for ao cinema sem você, peça para falar do enredo, aprofundando nos detalhes das histórias dos personagens.

DICAS DA CRESCER •

O leite materno é um dos melhores estímulos que você pode dar ao seu filho nos primeiros meses de vida. Além de todos os benefícios que você já conhece, uma pesquisa recente da Universidade de Montreal, no Canadá, acompanhou 14 mil crianças do nascimento até os 6 anos e meio de idade e descobriu que aquelas que receberam leite materno exclusivamente tinham o QI até 7,5 pontos maior do que as outras. Aproveite seu estímulo natural! • Até o quarto ano, a criança tem dificuldade em dividir. Converse com seu filho desde pequeno, dizendo que ele fará mais amigos se souber compartilhar os objetos. Caso insista na birra, interfira e faça a divisão do brinquedo. Se ele tiver dois carrinhos e desistir da brincadeira ao ver você entregando um deles para o colega, não dê os dois à outra criança. O melhor é guardar o carro até que ele resolva brincar novamente. Assim, perceberá que uma parte do brinquedo é dele, não tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!
Fico muito feliz sempre que leio um comentário carinhoso!
Bjks e fique com Deus!