domingo, 6 de junho de 2010

Mamãe em busca de emprego.

A conquista do mercado de trabalho pela mulher tem saído caro demais. Pois a quantidade de tempo que ela dispõe para ficar com o filho, não tem qualidade.
O mercado suga toda energia e acaba-se não fazendo algo com qualidade, como acompanhar a rotina, conversar com os pequenos, ouvir suas necessidades, brincar...
Até há bem pouco tempo, a decisão de trocar a carreira pela dedicação exclusiva à família era percebida como sinal de derrota ou como atestado de despreparo profissional. O que se esperava das mulheres é que fossem bem-sucedidas na carreira e conseguissem, ainda, administrar com perfeição o lar e o tempo com as crianças. A mãe que em nome dos filhos desistisse do trabalho passava por desocupada.


Sou a favor que a Mamãe abandone por um certo período a vida profissional, porque acho necessário sua dedicação integral e total ao bebê. Mas não abandono de vez.
Acho importante não só para a saúde financeira da família como também para o bem estar da Mamãe que ela seja útil não só como educadora, criadora, genitora, mas como parte sustentável da família.
Sim é fundamental o que ela faz: lavar, passar, cozinhar, arrumar, cuidar, educar, mas ela precisa se sentir necessária também fora de casa, afinal, serviço de casa, não tem lá seu valor real.
Pega-se tudo pronto e arrumado, mas quem não o fez, não sabe o trabalho que deu. Além, claro, de não gerar renda que ajude nas contas.


E decidi-se então que é preciso executar a difícil tarefa de buscar emprego, depois de ser mamãe estando desempregada.
E ela se torna ainda mais complicada se você se muda da cidade (onde as oportunidade e a rede social são bem maiores) para o interior (de onde você saiu a anos e muitos contatos se perderam). 
O retorno as origens é saudável pra sua família, pro seu filho que vai crescer com qualidade de vida, mas, lá  as pessoas não conhecem seu perfil profissional.
O que fazer nessa situação? Não sei. Estou passando por ela e sinceramente, estou um pouco perdida.

A realidade está batendo na porta e você, insegura, mas decidida a trabalhar. Isso já é alguma coisa.
Dê uma coisa você tem certeza, não quer sacrificar o pequeno, chegando em casa as 11h da noite, saindo as 5h da manhã. 
Você quer algo que valorize suas qualidades profissionais, mas não quer ser escravizada por ele.
Você quer algo que te ajude financeiramente.
Você quer seu lugar ao sol, e só.

Janaína Figueiredo.








2 comentários:

  1. O querida, tenho certeza que terá sucesso em sua busca, sabe que pode contar comigo se precisar deixar seu príncipe, ele será cuidado com todo carinho do mundo,tá?

    ResponderExcluir
  2. Boa sorte na sua busca Jana!
    Daqui a pouco serei eu a procurar. beijocas

    ResponderExcluir

Obrigada!
Fico muito feliz sempre que leio um comentário carinhoso!
Bjks e fique com Deus!