segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Desfralde complicado.

Bom gente, antes de começar a falar do desfralde do Otto, vamos as notícias.
No último post falei sobre o fato de ter voltado a creche e não querer comer por lá, pois bem, com o tempo passando, ele foi se adaptando, como era esperado, e agora já come, as vezes bem, as vezes não, mas seguimos tentando, isso é que importa.
O problema agora é não jantar, ele não aceita de jeito nenhum. Tudo bem que sempre tem a possibilidade de comer em casa, mas, como saio somente as 18h do trabalho, fica um pouco inviável fazer todos os dias e rápido, algo saudável.
Quando chegamos em casa, ele logo reclama de fome, então, dia desses fui cozinhar feijão, legumes, ele ficou irritadíssimo, porque a última vez que comeu foi por volta das 14h na creche, logo a fome estava negra.
E NINGUÉM GOSTA DE SENTIR FOME.
Mas, tenho certeza que logo estará acostumado com a tia que oferece o jantar e comerá bem, pois em casa, ele come.

Agora, vamos ao desfralde..."preocupada".

Nem sei se devo ficar assim tão preocuapada, visto que cada criança tem seu tempo.

Bom, mas vamos lá, ao que está acontecendo por aqui.
Em dezembro, fiquei 15 dias em casa e como já estava quente, resolvi iniciar o desfralde.

Iniciei deixando ele de cuequinha, mas antes, bem antes, já vim fazendo todo um trabalho de reconhecimento.
Explicando e mostrando que a mamãe fazia.
O Papai fazendo o mesmo, sempre que estava em casa.
Explicando pra que servia o penico e como funcionava.
Enfatizando sempre que íamos usar o banheiro, mostrando a ele, que era lá, que deixávamos nosso xixi.
E sempre que ia limpar o bumbum, conversava e ainda converso, sobre fazer xixi como os amiguinhos da creche (pois é, a maioria já faz no vasinho).

Bom, feito tudo isso fui para o primeiro passo, deixá-lo de cuequinha em casa, e durante 15 dias, cortei um dobrado para convencer o Otto a fazer xixi. Não era fazer xixi no vaso não, era liberar literalmente o xixi.
O tempo que ficava sem fralda, meia hora, uma hora, 3 horas, acreditem, ELE NÃO FAZIA XIXI.
Veio então, logo na primeira semana, minha preocupação em acabar causando uma infecção urinária na criança, mas tb veio uma certeza, ele já tem o controle, ao menos para segurar.
Continuei tentando, mas 15 dias passam voando, principalmente quando se está de férias e aí, vieram as recomendações com a avós.
Continuar tentando, mas saber parar quando fosse preciso, afinal, não queríamos problemas.

A vontade de desfraldar antes de voltar a creche era muita, mas...assumir que não era a hora e recuar porque era preciso, foi necessário.
E assim, recuei.
Expliquei a ele que colocaríamos a fralda senão ele ia ficar com o piupiu dodói, pois ele não podia ficar segurando o xixi, etc, etc, etc.
Demorou mais convencer as avós que era preciso recuar.

Daí, inevitavelmente vieram as comparações: Isabella, minha sobrinha que fez 2 anos em fevereiro já está desfraldada.
E isso, causa sim, uma frustraçãozinha na Mãe aqui e no Pai também.
Mas, ter paciência é preciso.

Voltaram as aulas e semana passada conversando com a professora, passados os dias de adaptação e a problemática de não comer, ela perguntou se podia desfraldar o Otto, já que quase todos já estavam desfraldados na sala dele.
Concordei, expliquei como ele reagiu quando tentei, mas acreditei sinceramente que já estava mais esperto, mais "amadurecido" e derrepente vendo o exemplo dos amiguinhos, isso aconteceria naturalmente.
E iniciamos na semana passada.

Primeiro dia: De manhã ele ficou de fralda, mas a tarde a Tia Valquiria conversou e disse que ele ficaria de cueca. E ele não fez xixi a tarde inteira. Depois do banho, colocaram a fralda pois ele sempre dorme, e quando peguei-o as 18h a fralda estava carregada.

Segundo dia: Otto ficou mega irritado a tarde inteira, se jogava no chão, gritava, esperniava, não participou das atividades, não brincou e com isso a Tia Vlaquiria ficou preocupada, pois ele não é assim.
Ela o levou inúmeras vezes ao banheiro e num desses momentos logo após sair de lá ele fez xixi, na roupa.
E disse que depois do banho, quando colocaram a fralda ele ficou super bem humorado, brincando...ficou normal.
Fim de semana chegou e a Mãe aqui ia deixá-lo de cueca, pra ir acostumando, mas...ele estava com intestino solto no sábado, não rolou.

Terceiro dia: Domingão, Papai encheu a piscina, vieram amiguinhos dele passar o dia, mas antes disso eu já o tinha deixado somente de cueca e sempre perguntando.
Coloquei no banheiro, sentei no vaso, falei que ele podia sentar e fazer como a Mamãe, nada.
Apelei e abri a torneira, nada.
Apelei ² e coloquei-o no chuveiro, pensando que assim ia rolar e ele ficou ainda mais irritado, gritando, chorando.
Não, ele não fez, nem no chão, nem no banheiro, nem em lugar nenhum. NÃO LIBEROU O DITO CUJO.

Não sei se por conta disso, ficou tão zangado que não quis saber dos amiguinhos, dos avós, da piscina, de nada.
Depois do banho, percebi que estava com sono, coloquei a fralda e fiz dormir.

Hoje seria nosso quarto dia de tentativa, mas, fui conversar com a professora pra saber como andava, já que comigo no fim de semana ele não fez e ainda ficou irritado, ela me relatou isso e disse que se eu quisesse ela continuaria, mas está com receio de acabar criando um trauma nele, já que demonstrou insatisfação e até uma irritação fora do normal, e ele é sempre bem tranquilo, apesar de sapeca.
Concordei com ela e mais uma vez vamos recuar, mas, vou marcar consulta com a Pediatra pra saber o que posso fazer além do que já tentei e das coisas que leio sobre o assunto.

Das poucas vezes que fez no chão, enquanto estive em casa, nunca briguei com ele.
Sempre com calma, explicando sobre fazer no banheiro.
Já sugeri molhar as plantinhas do jardim, a bicicleta (tenho uma bicicleta no jardim de madeira com flores), enfim...já tentei tudo, ou seria quase tudo...

...exaurindo com isso minhas tentativas e aumentando minha preocupação.

Alguma coisa teria que dar trabalho:
Otto sempre foi calmo quando bebê,
sempre dormiu muito e bem a noite,
desmamou fácil e largou praticamente sozinho,
sempre dormiu no quarto dele,
se adaptou bem a troca do berço pra caminha,
se adaptou bem a creche (apesar de alguns dias nem querer entrar),
sempre ficou super bem sem a mamãe ou o papai, com os avós (e sempre explicávamos o que íamos fazer, que íamos voltar logo) deixando-o sempre bem seguro.

Então, sinceramente, achei que não fosse ter tanto trabalho para desfraldar, aff. Ledo engano.

Alguém tem alguma sugestão milagrosa?!
Será que estou atropelando as coisas?!
Será que é mesmo a hora?!

Mamãe do Otto.

2 comentários:

  1. oh minha flor, acho que cada criança tem seu tempo. pelo que vc contou, ele ainda não está preparado, não adianta ficar cobrando pois ele pode acabar ficando mais frutrado ainda... deixa no seu tempo, vai tentando aos poucos, conversando, mas não fica apressada e nem liga pras comparações. sei que nós queremos as coisas do nosso jeito, achamos que os outros estão "passando na frente", mas cada um cada um. como vc disse, ele nunca deu trabalho em nada, tanta gente sofre pra desmamar, pra por na creche, pra deixar com o outros.. então agora é tentar ter paciencia e esperar ele saber a hora certa!! beijos minha amada, já estava com saudadeees!!

    ResponderExcluir
  2. E você veio!
    Querido ANJO, que bom que veio para ficar, seja muito bem vinda ao CASA DECORADA, acabei de ver seu recadinho dependurado na parede .
    Também já sigo seu cantinho....voltarei com tempo para papear mais ....me avise o que estiver em falta em nossa CASA para que sua permanência seja perfeita.
    Se vier e eu não estiver , vai se acomodando que logo chego, tem café fresquinho no fogão ...
    Fui colher umas flôres para te receber ...
    Obs: tem toalha limpa nos pés de sua cama ok.....
    bj

    ResponderExcluir

Obrigada!
Fico muito feliz sempre que leio um comentário carinhoso!
Bjks e fique com Deus!