quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Filhos são como navios/Niver Nique/1 ano de BHCG.

Hoje é aniversário da minhã irmã caçula. A moleca sorridente e decidida que começou a vida adulta aos 17. E com a sua opção de começar a vida cedo, é feliz, ao contrário do que todos nós poderíamos imaginar na época, que bom que estávamos errados, risos!
Desejo pra ela tudo que a vida tem pra oferecer de bom. Que seu filho seja um homem de bem, que sua saúde melhore sempre, que sua família seja cada dia mais feliz e muita, muita, muita paz! Felicidades irmã!

Mas hoje tb, temos eu e Gu que comemorar, pois faz 1 ano que descobrimos que o Otto estava a caminho, quanta felicidade naquele dia. Mas felicidade maior ainda estava por vir e hoje com a graça de Deus está aqui conosco e estamos cada dia mais apaixonados.
O pequeno já aprendeu a se desvirar quando está de bruços, desde domingo já vira e desvira a noite inteira, risos!
Está fazendo mais gracinhas, está mais sorridente, mais sapeca, mais conversador e falante.
Já está começando também a demonstrar quando gosta ou não de algo, como por exemplo ir a rua, ele adora. É uma das fases mais gostosas, claro que todas as fases são lindas, mas a gente sempre acha a do momento a mais linda!
Por conta disso fico com pena de Gu, que tem que trabalhar, se profissionalizar em cursos e acaba por perder as peripéricas do pequeno no dia-a-dia que por sua vez, mesmo sendo um bebê também sente sua falta.
E mesmo o papai chegando tarde, ele as vezes acorda, acho que sente o cheiro ou ouve a voz e fica por 15 minutos acordado no colinho, depois dorme, como quem diz:
"Papai, senti seu cheiro e acordei só pra te receber, mas tô cansado, vou dormir"!
E isso é único e primordial, eles trocam carícias e neste momento, sabem da importância de cada um em suas vidas.
Eu os amo, incondicionalmente!


Consegui um texto lindo na net e resolvi postar aqui, pois achei super original.


Filhos são como navios.

Ao olharmos um navio no porto, imaginamos que ele esteja em seu lugar mais seguro, protegido por uma forte âncora.
Mal sabemos que ali está em preparação, abastecimento e provisão para se lançar ao mar, ao destino para o qual foi criado, indo ao encontro das próprias aventuras e riscos.
Dependendo do que a força da natureza lhes reserva, poderá ter que desviar da rota, traçar outros caminhos ou procurar outros portos.
Certamente retornará fortalecido pelo aprendizado adquirido, mais enriquecido pelas diferentes culturas percorridas.
E haverá muita gente no porto feliz à sua espera.
Assim são os filhos.
Estes têm nos pais o seu porto seguro até que se tornem independentes.
Por mais segurança, sentimentos de preservação e de manutenção que possam sentir junto aos seus pais, eles nasceram para singrar os mares da vida, correr seus próprios riscos e viver suas próprias aventuras.
Certo que levarão consigo os exemplos dos pais, o que eles aprenderam e os conhecimentos da escola, mas a principal provisão, além das matérias, estará no interior de cada um:
A capacidade de ser feliz.
Sabemos, no entanto, que não existe felicidade pronta, algo que se guarda num esconderijo para ser doada, transmitida a alguém.
O lugar mais seguro que o navio pode estar é o porto. Mas ele não foi feito pra permanecer ali.
Os pais também pensam que sejam o porto seguro dos seus filhos, mas não podem se esquecer do dever de prepará-los para navegar mar a dentro e encontrar o seu próprio lugar, onde se sintam seguros, certo de que deverão ser, em outro tempo, este porto para outros seres.
Ninguém pode traçar o destino dos filhos, mas deve estar consciente de que na bagagem devem levar valores herdados como:
Humildade, Humanidade, Honestidade, Disciplina, gratidão e Generosidade.
Filhos nascem dos pais, mas devem se tornar cidadãos do mundo. Os pais podem querem o sorriso dos filhos, mas não poder sorrir pra eles. Podem desejar e contribuir para a felicidade dos filhos, mas não podem ser felizes por eles.
A felicidade consiste em ter um ideal a buscar e ter a certeza de estar dando passos firmes no caminho da busca.
Os pais não devem seguir os passos dos filhos e nem devem estes descansar no que os pais conquistaram.
Devem os filhos seguir de onde os pais chegaram, de seu porto, e como os navios, partirem para as próprias conquistas e aventuras.
Mas, para isso, precisam ser preparados e amados, na certeza de que:
“Quem ama educa”.

COMO É DIFÍCIL SOLTAR AS AMARRAS!

(αuтσяια: ιçαмι тιвα)

3 comentários:

  1. Janaina!

    Muito lindo seu post!

    Desejo do fundo do coração muita saúde, paz, amor e tudo de bom pra família de vcs!

    Forte abraço!

    Fabi

    ResponderExcluir
  2. Ah! agora que não escrevi nada bonito.. a mensagem foi..rs

    depois eu volto.. e tento escrever tudo de novo...

    de qualquer forma, deixo aqui o registro de que amei o post..
    a mensagem..o recadinho...
    te amo demais!

    Nique

    ResponderExcluir

Obrigada!
Fico muito feliz sempre que leio um comentário carinhoso!
Bjks e fique com Deus!