sábado, 10 de maio de 2008

28 semanas e Papai em Brasília

Olá meu povo, desculpe o mega atraso mas a semana foi praticamente off de net.
Ocorre que GU teve de viajar a trabalho no domingo e eu fui passar a semana na casa dos meus pais e Saquá, com isso só acessava a net a noite na casa de Tícia e não tive paciência de postar, pois passei muito mal a semana inteira, nossa!
Papai foi para Brasília no domingo pois não conseguiu passagem para ir na segunda e com isso passamos mais um dia de muuuuuita saudade dele.
Ele faz muuuuuuita falta e Mamãe até chorou de saudades (mas ele não sabe disso)...
Fomos no domingo mesmo para Saquá, vovô Cilésio veio buscar e nos trazer na sexta.
Fomos em Tia Letícia e dormimos lá, fomos em vovó Vilmar, em Tia Sandra.

Bom, agora vou postar o que acontece nesta semana gestacional:

A medida do bebê é cerca de 33 a 36 cm de comprimento e pesando entre 850 e 1.700 gramas, continua crescendo, assim como seus cabelos.
Embora ele seja imaturo em uma série de aspectos, em condições especiais e cuidados mais especiais ainda, ele tem grandes chances de sobrevivência se nascer neste momento.
Os cabelos estão mais compridos e o cérebro bem ativo com formação de dobras específicas. Na 28ª semana, o bebê começa se mexer menos, mas ainda tem espaço para isso.
Enquanto isso, a barriga da mamãe só cresce. O útero está a 8cm acima do umbigo. A dificuldade para respirar a acompanhará até o fim da gestação. Você deve ter ganhado uns 10 quilos.
Não estranhe se aparecer uma linha escura que vai do umbigo até os pêlos pubianos, chamada de linha negra. Tende a desaparecer até 12 meses depois do nascimento.
Se fizer mais de 5 anos da última vez que realizou a vacina dupla ou a tríplice, está na hora de programar a sua vacinação antitetânica para prevenir o tétano umbilical, muito comum antigamente e em partos domiciliares.
Diabetes gestacional: Cuidado com a glicose excessiva no sangue. Isso acontece em mulheres não diabéticas, mas desenvolvem diabetes durante a gravidez. Tende a desaparecer depois do nascimento do bebê. Mulheres obesas ou que tenham parentes de 1º grau com diabetes têm maior probabilidade de apresentar a doença.
O diagnóstico é feito através do exame de glicemia em jejum.
É perigoso e pode causar parto prematuro, aumento de peso do bebê e ele pode ir para UTI quando nascer por hipoglicemia.
A mamãe diabética precisa seguir rigorosamente uma dieta específica orientada pelo médico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada!
Fico muito feliz sempre que leio um comentário carinhoso!
Bjks e fique com Deus!